atendimentos

BEM-VINDOS!

Orientações, consultas, partilhas e atendimentos: via skype ou presencial.

Para marcar um horário, escrevam para o email fernanda.manzoli@gmail.com

" Todos os tipos de relacionamentos proporcionam transformação, tomada de consciência e crescimento pessoal e espiritual "

Espero você para este sagrado encontro!!

Somos todos UM!

terça-feira, 8 de novembro de 2011

COLETÂNEA SOBRE A FAMÍLIA

COLETÂNEA SOBRE A FAMÍLIA -
AUTRES DIMENSIONS


Nota MA: Esta Família bonitinha aí em cima "é uma criação da Matriz", ela te cega, pois te faz confundir o Amor humanóide com o Amor Crístico.

Você faria algo por sua família (alguém que você considera especial) que não faria por qualquer outra pessoa?

Se sua resposta foi sim é que também está cego por esta definição de amor, o que você sente na verdade é um carinho especial que não tem nada a ver com Amor.

Você está hoje Pai,

Você está hoje Mãe,

Você está hoje Filho, etc;

Eu estou hoje André, que é filho, irmão, tio, etc.

São apenas papéis 3DD que continuamos desempenhando, porém agora com a consciência voltada para o espírito, pois sabemos que não tem nada a ver com o Amor Crístico.

Leia com atenção a coletânea abaixo e "tire" esta barreira que colocou em seu coração, não é para abandonar ninguém não cabeção, refiro-me em abandonar este APEGO!!!

 
Questão: quando se vive uma passagem, como mãe, isso impacta nos filhos?

A relação que vocês chamam Mãe/filho é uma das relações viscerais, para além do afetivo, a mais forte existente em sua densidade.

Assim, portanto, quando o filho ou a Mãe, qualquer que seja a idade, faz um trabalho de liberação dos laços, naquele momento, efetivamente, um ou outro pode manifestar, ao nível visceral, a supressão do laço visceral e, frequentemente, isso se traduz pelo que vocês chamam uma eliminação.

Assim como o sabem, assim como talvez nem o aceitem ainda, todos os laços existentes dentro de valores que fizeram sua sociedade e, em particular, o que vocês chamam laços familiares, apenas existem em sua Dimensão dissociada.

A família é uma Criação da matriz.

Há uma família de almas, mas esta família de almas é uma família de liberdade e de liberação, de ressonância pura, sem laço, o que não é o caso no seio da família.

Os Arcontes que induziram esse processo de laço chamado filiação ou laço familiar, ali introduziram um aspecto particular que faz com que, quando vocês têm o que foi chamado um Carma a resolver, vocês se reencarnam sistematicamente junto da pessoa que vai lhes permitir fazê-los regular seu carma.

Assim, portanto, os laços existentes numa família não são laços de liberação, jamais, mas são laços de fechamento a superar.

O problema sendo que as convenções sociais e morais provenientes de crenças, certamente, vão fazer persistir laços para além do razoável e para além do que é desejável e necessário para sua liberação.

Assim, portanto, o mais frequente, o que vocês chamam Amor filial ou Amor familiar, é apenas uma astúcia que lhes foi impressa como uma crença e à qual vocês aderiram.

Não existe instinto maternal, existe simplesmente uma crença que lhes foi impressa, literalmente, em seu cérebro que os faz reagir com relação ao que vocês chamam a filiação.

Assim, portanto, o processo de alma que visa restabelecer, expulsar um carma reencarnando-se numa pessoa que, numa Vida passada, esteve em relação com vocês sobre uma relação aprisionante, finalmente e em definitivo, não os libera, mas os aprisiona ainda mais.

Isso traduz o maquiavelismo perfeito dos Arcontes para dominá-los sempre e ainda mais nesta matriz.

Tudo isso está em curso de dissolução.

Quando vocês escaparem desta matriz, de maneira definitiva, e se acederem à 5ª Dimensão, não esperem reencontrar aqueles que perderam ou aqueles que amaram, no sentido humano, mas reencontrar sua família de almas, o que não é a mesma coisa.

Assim, portanto, hoje, aqueles entre vocês que estão no caminho da liberação, descobrem que se pode amar sem laço, que se pode educar sem laço, o que é de longe preferível às relações viscerais nas quais vocês acreditam.

Um de seus poetas disse: «seus filhos não são seus filhos».

Ele expressou uma das maiores verdades existentes nos Universos Unificados.

Vocês são os filhos, todos, sem exceção, de Maria, no sentido filial, no sentido Vibratório e no sentido espiritual.

Paradoxalmente, e de maneira muito lógica no plano espiritual, no plano Unificado, a única alma que não tem Maria como Mãe, é Cristo.

Cristo encarnou-se livremente.

Cristo encarnou-se passando por uma fileira genital mas sem ser procriado por via natural, o que não quer dizer que não houve procriação, contrariamente ao que alguns ensinamentos querem fazê-los crer.

Cristo é sim nascido da união do que vocês chamam espermatozóides e óvulo, mas por procedimentos tecnológicos, eu diria, e não humanos.

Assim, portanto, Cristo encarnou e, tendo se desenvolvido nesse mundo no ventre de Maria, é a única alma que não tem Maria por Mãe.

RAPHAEL – 4 de maio de 2010



Questão: como conciliar uma Vida profissional e o fato de não mais estar na dualidade?

Isso é impossível, bem amada. Tudo, em seu mundo, participa da dualidade. A noção de casal, a noção de família, a noção de trabalho. Porque esse mundo é construído na noção da dualidade e ação/reação, mas cortados da Fonte.

Então, portanto, isso afigura-se cada vez mais inconciliável. Conciliar uma Vida, tal como vocês a conceberam até o presente, e viver a Unidade, é relacionar-se com dois mundos totalmente opostos e totalmente diferentes e, no entanto, é-lhes preciso manter sua Vida nesse mundo, a fim de aí permanecer até o momento oportuno.

Então, obviamente, para alguns de vocês, as coisas serão mais difíceis. Obviamente, isso é transitório, porque quanto mais vocês penetrarem os arcanos da Unidade, mais as coisas se tornarão fluidas, quer isso seja em sua família, em suas atividades, quaisquer que sejam.

Inúmeras coisas nivelar-se-ão, coisas que, hoje, parecem-lhes ainda insuperáveis. Isso não se faz de um dia para o outro. Então, estamos bem conscientes que fazer-lhes viver a Unidade, tal como nós o fazemos, vai levá-los necessariamente a tomadas de Consciência cada vez mais importantes e desafios cada vez mais importantes, quer isso seja em suas vidas familiares, afetivas, profissionais ou relacionais, simplesmente.

Mas vocês são obrigados a passar por aí, não temos outras soluções.

ANAEL – 30 de janeiro de 2010



As famílias criadas sobre a Terra não têm sentido algum aos olhos espirituais.

É-lhes pedido, em todas as tradições, para honrar pai, mãe e filhos, mas vocês devem, neste período de fim dos tempos, superar essa crença.

O que não quer dizer que devam ignorar, mas que devem amar do mesmo modo seus filhos, seus próximos, como seus inimigos.

Se vocês fazem uma diferença entre aqueles a quem vocês chamam seus filhos e as outras crianças, vocês não estão prontos para viver essa nova dimensão.

MA ANANDA MOYI – 13 de agosto de 2008



Questão: qual é o ponto de partida da existência das famílias de almas?

Existe, nos mundos falsificados, uma relação e um intermediário entre o corpo da personalidade e o Espírito.

Essa relação, esse laço, foi chamado alma.

A alma pertence, irremediável e inabalavelmente, à matriz.

Ela não existe no Espírito.

Assim, nas experiências extensivas que vocês tomaram na encarnação, as relações, as ressonâncias, as atrações e as repulsões criaram-se entre algumas almas.

Ao nível do Espírito, as famílias de almas não têm qualquer sentido, porque a alma pertence à matriz.

Assim, falar de alma Irmã ou de alma gêmea não tem, ao nível do Espírito, qualquer sentido, dado que se trata de uma Dimensão intermediária.

Vejam aí simplesmente um princípio de atração e de ressonância exprimindo-se de acordo com caminhos em afinidade, poder-se-ia dizer.

O Espírito, situado ao nível da Unidade e do Sol, não se importa com esses mundos intermediários.

A palavra família de almas foi criada, mas recordem-se de que a noção de família é uma invenção existente unicamente nos mundos dissociados.

Sua única família é uma família espiritual Vibratória ligada à sua dimensão de Espírito, à sua dimensão estelar, à sua origem estelar, à sua origem Dimensional e às suas Linhagens.

Mas, em caso algum, isso tem qualquer relação com o que é chamada a alma.

ANAEL – 13 de fevereiro de 2011



Nas outras Dimensões Unificadas, o que vocês chamam competição, predação, família não existe absolutamente.

Eu os lembro também (há quem terá surpresas, porque, pelo momento, vocês refletem com polaridade masculina ou feminina): nos mundos Unificados, vocês são andróginos, portanto, a noção de família, de casal, nada quer dizer.

Aqueles que esperam reencontrar as mesmas condições que na Terra, não é de modo algum assim, hein, não é?

Vocês não poderão reproduzir os esquemas de apego que levaram nesta Dimensão e que, por vezes, foram necessários nesta Dimensão.

Nos mundos livres, é muito simples, vocês são livres, mas totalmente livres para ir e vir para onde desejarem.

Não existe qualquer dissociação, qualquer fragmentação e qualquer limite.

É a diferença essencial para com os mundos dissociados, não é?

O.M. AÏVANHOV – 27 de novembro de 2010



O fogo do desejo é o que concerne ao conjunto da personalidade, mesmo em suas necessidades, chamadas pela própria personalidade, como as mais corretas e chamadas, também, como as mais floridas (como pode ser, por exemplo, o florescimento num casamento, numa família, numa fraternidade, numa profissão).

MA ANANDA MOYI – 12 de setembro de 2011



Questão: poderia desenvolver sobre o que pode ser a vida na 3D Unificada?

Cara amiga, com grande prazer, mas é necessário saber, já, que a vida de um Arcturiano, na 3D Unificada, nada tem a ver com a vida de um Vegaliano, nada tem a ver com a vida de um Pleiadiano etc. etc.

Como dizer?

Quaisquer que sejam os costumes (vamos chamar assim) ou os mecanismos de vida que estejam presentes, obviamente, é diferente, de acordo com a própria arquitetura dos mundos.

Não posso adentrar nisso, é demasiado complexo.

Mas vou dar-lhes um breve panorama, se quiserem.

Primeiro, não há hora.

Em seguida, não há patrão.

Em seguida, não há marido e mulher.

Em seguida, não há, sobretudo, família.

Em seguida, não há regras e não há voto, tampouco.

São os Antigos que, por maturidade (e por amadurecimento), muito naturalmente, vão tentar ajudar e não governar ou dirigir o que quer que seja.

Nos Mundos Unificados não há obrigação de ir trabalhar, não há obrigação de levantar-se pela manhã, porque não há dia e não há noite.

A Luz é idêntica todo o tempo.

O corpo não é a única possibilidade de Vibração da Consciência, ou seja, mesmo se a Consciência seja, ainda, tributária de um corpo, ela é, também, acessível, de algum modo (essa Consciência), às influências da Luz.

A Luz não é mais velada, ela não é mais falsificada, ela não está mais num eixo de desvio da Luz.

Portanto, as condições de vida são completamente normais.

Eu disse também, eu creio, que não há mais predação, não há mais chefe acima de si.

Vocês são seu único chefe.

Não há mais sofrimento e, sobretudo, não há mais doença.

A doença é específica dos mundos carbonados dissociados.

Não há razão alguma para que as células carbonadas, estando religadas à Fonte, sejam atingidas por qualquer enfermidade ou doença.

Não estou vendendo a 3D Unificada, é claro, hein?

A única restrição é que – como eu disse – vocês são tributários, ainda, de um corpo carbonado, porque há certo número de apegos que foram veiculados, nos últimos instantes da Terra, na Consciência, que faz com que não se possa, por mecanismo de medo, deixar seu corpo para aceder a outro corpo.

Há, também, medos antigos, memórias antigas, mesmo se tudo foi apagado (na Alma, não na personalidade), que faz com que a Alma não possa revelar-se, inteiramente, no Espírito.

Não se deve esquecer que há povos que estão na 3D Unificada, mas totalmente livres.

A 3D Unificada do humano é um pouco específica.

E, também, será necessário encontrar um novo domicílio, porque a Terra não estará mais na 3D.

Portanto, não são vocês que partem, é a Terra.

Isso eu já disse.

Aí está o que se pode dizer sobre a 3D Unificada.

Tudo o que vocês conhecem, todas as leis da encarnação, aqui, sobre esta Terra, tudo o que está inscrito em seu DNA, o que vocês chamam as relações, os laços e os afetos, as emoções, o mental, tudo isso não existe mais na 3D Unificada, na totalidade.

Há, simplesmente, alguns pesos que existem, que fazem com que a Alma exista ainda e com que essa Alma seja portadora de algumas Vibrações que é necessário, pouco a pouco, por uma espécie de reeducação à Luz, evacuar, progressivamente, mas sem estresse, sem imposições de tempo.

O.M. AÏVANHOV – 24 de setembro de 2011



A única coisa de que vocês estão certos, nesse mundo, é que sua vida, nessa consciência desse corpo, é limitada entre um momento que se chama o nascimento e um momento que se chama a morte.

E que, nesse confinamento, a lei que domina – visível tanto ao nível das leis físicas como das leis da família, como das leis da sociedade – chama-se, efetivamente, a lei de ação/reação.

Mas jamais foi dito que as leis de ação/reação aplicavam-se a outra coisa que não a consciência confinada.

Assim, portanto, tomar consciência do confinamento conduz à Lucidez e, sobretudo, os faz viver a Humildade, que já é aceitar o confinamento para poder esperar, portanto, dele conhecer os mecanismos, não para escapar, mas, realmente, para transcendê-los.

Assim age a consciência.

E não pode ser diferentemente.

IRMÃO K – 15 de setembro de 2011



Questão: qual é a diferença entre uma origem cármica ou transgeracional?

Se é transgeracional, não é cármico.

Como é que pode ser transgeracional e cármico?

Isso não toca os mesmos chacras.

Uma doença transgeracional é ligada a um carma de um antepassado (Jesus dizia: «sete gerações») que empreendeu uma ação e que sofreu uma ação que se manifesta por uma doença ou um problema, qualquer que seja, que vai transmitir-se aos descendentes.

Mas esses descendentes não têm carma.

Isso se chama transgeracional.

É ligado ao veneno da carne, ou seja, a tudo o que foi ligado pela carne, de que Jesus veio livrar-nos.

Mas, é claro, é necessário, também, que os seres humanos, que estão nessas dinâmicas transgeracionais, saiam, eles também, da influência, em todos os níveis, do que é chamada a família.

Isso se vê, muito frequentemente, nas famílias, como dizer..., muito, muito ligadas pela carne; muito, muito ligadas por histórias que remontam a gerações, em que todas as gerações têm enorme dificuldade para livrar-se da autoridade e do peso da hereditariedade.

Portanto, são famílias – sem ali ver qualquer noção negativa – um pouco fossilizadas e enrijecidas em histórias, justamente, familiares, quaisquer que sejam: o peso da linhagem, o peso da educação, o peso do que é transmitido ao nível genético, mas, também, em diferentes níveis: moral, social, financeiro, pela linhagem.

E são pessoas que são condicionadas por sua linhagem.

O.M. AÏVANHOV – 20 de agosto de 2011



Existe, efetivamente, através da Energia da Luz Vibral, uma transmutação desse corpo de desejo (lógico nesse mundo que percorremos), a fim de transmutar essa maternidade numa Maternidade Celeste, que os faz reconhecer a Criadora Suprema como sua verdadeira Mãe, sem terem passado, para tanto, numa outra matriz presente na carne.

Assim, os confinamentos, no que é extremamente louvável chamar nossos pais (nesse mundo onde nós pusemos nossos passos) e essa necessidade de adoração de nossos pais, encontram-se transmutados, não como uma forma de rejeição, mas, bem mais, como uma liberação desses apegos transgeracionais, que os ligam (de maneira eterna, até o presente) a esses engramas e a esses jogos de ressonância, permitindo-nos, assim dizendo, depurar um carma, qualquer que seja.

Assim, portanto, a mão que tem [«main tenant»] vai transformar-se, sob a influência da Vibração da Unidade, revelada pelo chacra de Enraizamento do Espírito (na matriz, no útero), permitindo resolver todas as síndromes de perdas e de abandono, todas as síndromes de posse, em ressonância com uma passagem da Dualidade à Unidade.

Assim, a ressonância estabelecida ao longo desse Atalho é um dos elementos importantes que permite ver, aí também, com certa distância (certo distanciamento) tudo o que pode existir de confinamentos nas relações da carne, no confinamento, nas relações da família, da matriz e regras sociais e morais de que Irmão K, estou certo, falou-lhes longamente.

A revelação dessa Luz não é uma rejeição, é claro, dos laços da família, não é uma rejeição dos laços do sangue, mas, efetivamente, sua transfiguração, a fim de que o que os mantém nessa dependência desapareça.

SRI AUROBINDO - 8 de julho de 2011



Tudo o que faz com que o ser humano, no curso de sua vida, reencontre-se apegado a um número incalculável de posses, desde seu próprio corpo, passando por sua própria família, seu próprio trabalho, seu próprio automóvel, até seus objetos, os mais ínfimos, nos quais o sentimento de propriedade e de pertencimento é quase constante e sugerido, permanentemente, por certos comportamentos induzidos, ligados, justamente, a esses apegos.

A superação do ego e a transcendência do ego, a ativação desse circuito vai permitir nutrir não mais o fogo do ego, mas o Fogo do Coração.

Ao nível da Consciência, isso se traduz pela percepção, cada vez mais lúcida, de diferenças fundamentais existentes entre o que é da ordem do ego e da ordem do Coração.

O ego será sempre uma reivindicação.

O Coração será sempre uma Doação e um Abandono.

O ego apropria-se, o Coração restitui.

SRI AUROBINDO – 4 de julho de 2011



O que se desvenda (através do choque da humanidade e da revelação da Luz) não pode, em caso algum, ser compatível com um prosseguimento qualquer da personalidade, de um papel, de uma função, do mental, do ego, do emocional.

É uma mudança total de vida, chamada a Ressurreição, ou o Renascimento, que nada mais tem a ver com qualquer condicionamento religioso, social, econômico, político, afetivo e mesmo nos papeis que vocês desempenham num casal ou numa família.

IRMÃO K - 3 de julho de 2011



Vocês têm, todos, ao seu redor, em sua família, em seus ascendentes, em seus descendentes, nas pessoas que vocês frequentam, profissionalmente ou outro, pessoas que são exacerbadas e odiosas com vocês, porque vocês são Portadores de Luz.

Não creiam que, porque vocês são Portadores de Luz, os outros vão olhá-los como santos.

Para eles, vocês são o diabo, para aqueles que desejam continuar lagarta.

Perguntem a uma lagarta o que ela pensa de uma borboleta.

Ela tem horror das borboletas.

O.M. AÏVANHOV – 16 de maio de 2011



O casal, a noção de família, existe apenas nesta Dimensão.

O que é chamado de princípios de filiação, ao nível espiritual, ligado às suas linhagens, estritamente nada têm a ver com noções genéticas, no sentido que vocês entendem, que correspondem a um confinamento.

É necessário liberar-se do conhecido, é necessário liberar-se de toda relação para penetrar a relação com o Um.

A relação com o Um não pode encontrar-se numa relação de Ser a Ser.

Ela se encontra apenas se os dois superaram a relação de casal ou de Dualidade.

Ora, a Unidade pode encontrar-se apenas si-mesmo frente a si-mesmo.

Tornar-se Tudo necessita apenas se tornar o outro.

Existem, para numerosos casais, hoje, fatores de superação que são ligados, aí também, ainda uma vez, à apropriação.

Foi dito, por numerosos poetas, que seus filhos não são seus filhos.

Da mesma maneira, o outro elemento do casal constituído não é você.

Mas você é ele, no entanto, num outro nível.

E, para isso, é necessário superar mesmo a noção de casal.

Quando vocês estão nos espaços multidimensionais, sua Consciência funde com qualquer Consciência.

Não há barreiras, não há limites, não há confinamento numa relação, qualquer que seja.

Compreendam efetivamente que qualquer relação, nesta Dimensão, mais cedo ou mais tarde, os fechará.

MA ANANDA MOYI - 5 de março de 2011



Questão: como iluminar nossos parentes com relação a todas essas mudanças?

Bem amada, jamais os que recusam inteiramente (e é liberdade deles) as mudanças, poderão aceitá-las.

Isso faz parte da separação, da decantação e da precipitação da humanidade.

Cada um Vibra em sua frequência.

Assim, as relações estabelecidas em algumas famílias vão, efetivamente, mostrar estados em que alguns seres se elevam, enquanto que outros se precipitam e se cristalizam.

O que vocês podem ali?

Absolutamente nada.

Vocês não podem conduzir nenhum outro ser humano para um lugar onde ele não queira ir.

Vocês não podem, portanto, salvar, se é que haja salvamento, aquele que não quer ser salvo.

Vocês não podem levar ninguém a não ser sua própria Consciência.

É isso que é preciso aceitar e integrar.

Alguns de seus pais, alguns de seus filhos não irão para o mesmo lugar que vocês.

Isso é assim.

Do mesmo modo que em uma família, quando um ser morre, será que os outros devem também morrer?

Do mesmo modo, numa família, quando um ser decide mudar de continente, será que os outros membros desta família devem mudar de continente?

Isso se chama a liberdade e o respeito da liberdade.

Não há qualquer destino que seja melhor do que outro, há somente destinos diferentes aonde cada um irá segundo sua própria Vibração.

ANAEL – 27 de novembro de 2010



Aqueles que estão fechados na certeza da lógica ilusória de suas vidas, quaisquer que sejam suas ocupações ou suas funções numa família ou numa profissão, o querer iluminá-los confrontará vocês à Dualidade.

Vocês não podem informar nem iluminar ninguém que não o queira.

Apenas através de sua própria Presença Unificada que pode haver, literalmente, uma forma de contaminação para a Luz, mas certamente não através de palavras e ainda menos através de algumas informações.

ANAEL – 27 de novembro de 2010



Questão: como informar as pessoas que não estariam nesse caminho?

Bem amada, eu efetivamente disse que não havia nem a esclarecer, nem a comunicar.

Aqueles que estão fechados na certeza da lógica ilusória de suas vidas, quaisquer que sejam suas ocupações ou suas funções numa família ou numa profissão, o querer iluminá-los confrontará vocês à Dualidade.

Vocês não podem informar nem iluminar ninguém que não o queira.

Apenas através de sua própria Presença Unificada que pode haver, literalmente, uma forma de contaminação para a Luz, mas certamente não através de palavras e ainda menos através de algumas informações.

Nós não esconderemos que, mesmo no momento em que o conjunto das forças da Confederação Intergaláctica Unificada aparecer de maneira sincrônica em seus Céus, alguns recusarão ainda levantar os olhos para o Céu para nos ver.

O que podemos nós e o que podem vocês ali?

Alguns seres estão fechados em suas certezas, em seu mundo.

O que vocês querem fazer?

Seja um pai, seja um parente, a partir do instante em que vocês descem para explicar e informar a alguém que não está em sua Dimensão, vocês recaem inexoravelmente na Dualidade.

Vocês não podem forçar ninguém.

A partir do momento em que vocês queiram forçar, ainda que por uma vontade de informação, vocês chocarão a pessoa no que ela não vive.

Imaginem que vocês falem da Coroa Radiante do Coração a alguém que não sabe mesmo o que é uma Energia, a alguém que não quer ouvir falar disso, com qual direito você lhe imporia seu conhecimento ou sua vivência?

A liberdade é válida para uns como para os outros.

ANAEL – 27 de novembro de 2010



Questão: é preciso se afastar das pessoas que não estão no mesmo nível Vibratório?

Bem amada, a questão é muito difícil.

Você deve deixar uma pessoa de sua família porque ela não está na mesma Vibração?

Esse é um cruel dilema e uma cruel questão.

Apenas você tem a resposta, unicamente você.

Cabe a você saber o que você pode suportar, cabe a você saber o que pode viver ou não viver.

Jamais uma resposta virá do exterior com relação a esse processo.

Mas, obviamente, vocês estão todos, uns e outros, constatando um estado de lugares.

Este estado dos lugares faz com que alguns apegos, que eram essenciais em sua vida, de um dia para o outro, desapareçam inteiramente.

Que isso seja para um membro próximo, que isso seja para uma atividade.

Então, que fazer naqueles momentos?

A resposta lhes pertence e cada caso é diferente.

E ela não poderá jamais vir do exterior.

É a você que lhe cabe colocar suas escolhas, seus atos e suas circunstâncias de vida.

Cabe a você refletir.

O que é que os alivia?

O que é que os eleva?

E o que é que, ao contrário, os cristaliza e os precipita na Dualidade?

Cabe a vocês também saberem o que vocês podem encaixar, literal e praticamente, sem recair na Dualidade.

De fato, quanto mais vocês se dirigirem para seu Ser Interior, mais este resplandecerá na Vibração da Existência, menos vocês estarão sujeitos às energias da Dualidade.

Isso se chama o princípio de atração e de ressonância.

Não se esqueçam, tampouco que, a partir do momento em que vocês estão sob a influência do Abandono à Luz, é a Luz que vai se encarregar de sua vida e que vai instaurar as circunstâncias mesmo da manutenção da Unidade e da Luz.

Lembrem-se também de que vocês estão, hoje, no bom lugar, na boa idade, na boa pele com relação ao que é para viver, hoje.

Cabe a vocês seguir, ou não seguir, o princípio de atração e de ressonância, os diferentes impulsos mesmo, vindos da alma, chegando até vocês e os impulsos, é claro, da Consciência.

Eu os remeto, com isso, às frases do Cristo: «Deixem os mortos enterrarem os mortos», «será que o pássaro, em seu ramo, se preocupa com o que vai comer amanhã?», ilustrando, assim, sua capacidade para penetrar, inteiramente, o Hic e Nunc, Aqui e Agora.

ANAEL – 27 de novembro de 2010



Nós aceitamos, do mesmo modo, que vocês devem aceitar, que alguns de seus parentes, filhos, pais, não tenham o mesmo caminho, nem o mesmo destino que vocês.

Nós repetimos frequentemente que o que vocês criaram como relações, nesse mundo alienado, chamadas de família, chamadas de casal, chamadas de hereditariedade, não têm qualquer existência nos Mundos Unificados.

Absolutamente nenhuma.

Mas a Fonte é sim obrigada a respeitar suas próprias leis, mesmo falsificadas e transformadas por algumas Entidades.

ANAEL – 7 de agosto de 2010



Pergunta: como superar o apego que eu sinto por meus dois filhos?

Querida irmã, que seja seus filhos, que seja seus pais, deve considerá-los como Seres Livres, porque é o que eles são.

Seu futuro lhes pertence.

Querer bloquear suas escolhas é uma forma de posse.

Entretanto é fácil, efetivamente, tomar decisões para se liberar de certos pesos como, por exemplo, o que foi dito previamente em relação à venda de apartamentos, de bens.

No entanto é muito mais difícil, em meio a esta matriz, se liberar dos apegos criados por parte da família.

Lembrem que sua verdadeira família é espiritual.

Quando vocês deixam esse corpo, as ligações que vocês estabeleceram não mais existem, exceto em alguns carmas que os fazem reencontrar, extensivamente, as mesmas almas em diferentes papéis em meio às suas diferentes encarnações.

Mas esta Dimensão não existindo mais, não há possibilidade de se religar aos dados cármicos e então vocês devem aceitar.

Mas essa aceitação não pode passar por uma decisão, como vender um bem, ela passa pelo que desenvolveu muito longamente Anael, Arcanjo, no que diz respeito ao Abandono à Luz.

Apenas no nascimento da Vibração, no Coração, que se traduz e se vive a Liberação.

Não é uma decisão do mental, porque ela não pode existir em meio ao mental.

Uma mãe não pode decidir romper uma ligação afetiva e ainda, a palavra “romper uma ligação afetiva” não é completamente justa.

Há simplesmente que soltar.

Então, em relação a esse tipo de apego, apenas a Vibração do Coração pode liberar, e absolutamente nada mais.

Portanto, isso necessita descer sua Consciência no Coração, acender a Vibração do Coração, e depois deixar, num segundo tempo, o Fogo do Coração se acender em vocês, antes que o Fogo venha sobre a Terra.

SRI AUROBINDO - 14 de julho de 2010



Questão: não sinto vibrações, mas como que pulsações.

São Vibrações.

E bem, agora, o que o impede de dirigir essas Vibrações no Coração?

Bem, é preciso esvaziar o Coração.

Mudando.

É preciso retirar as caixas.

As caixas que são, para você, as crenças, a educação, os condicionamentos, que fazem dizer que, como todas as pessoas, o importante do Amor, são os filhos, o importante do Amor, é a família, o importante do Amor, é a relação com o outro, mas, lá dentro, você esquece de uma coisa, é a relação a Si.

A Vibração do Coração é o acesso à Alegria.

A Alegria da cabeça não é a Alegria do Coração.

A Alegria do Coração é Vibração e Consciência.

Isso quer dizer que se a Alegria é sentida (e que é a característica já dos chacras superiores) e se esta Alegria não se estabelece no Coração, isso quer dizer que não há lugar no Coração para que a energia chegue naquele nível.

Há seres para quem é mais fácil abrir o chacra do Coração, e menos o chacra da cabeça etc. etc., mas isso quer dizer, antes de tudo, que é preciso limpar, esvaziar as caixas, ou seja, retirar tudo o que atravanca, tudo o que está ligado às memórias e aos apegos.

Isso não quer dizer abandonar todos os parentes.

Isso quer dizer se considerar e viver como livre de qualquer apego.

Os apegos impedem a Alegria, quaisquer que sejam, como as crenças, como os medos.

É por isso, aliás, que a maior parte dos místicos sempre viveu só e quase nunca, nunca, teve descendência, porque havia uma responsabilidade com relação a isso.

Era, ou a geração que vocês chamariam de horizontal, ou a geração vertical, e as duas não podiam se casar.

Atenção, isso não quer dizer que não podia haver relação entre um homem e uma mulher, eu não falo isso.

Eu falo dos engajamentos na Vida material.

O.M. AÏVANHOV – 25 de junho de 2010



Mesmo nas famílias as mais felizes, mesmo nos casais os mais honestos, mesmo nos casais os mais transparentes um em relação ao outro, a maior parte das relações humanas, até o presente, devido ao fato da ausência da Existência, eram construídas, obviamente, pela personalidade e pelo Carma.

E vocês descobrem, hoje, que é uma relação de natureza falsa, porque aprisionante e que encarcera.

E, hoje, o que lhes é pedido, pela Existência, é viver a liberação de todos os encarceramentos e de todas suas crenças e de todas suas dependências.

ANAEL – 15 de março de 2010



Questão: numa mesma família humana, terrestre, as almas poderiam fazer parte de uma mesma família estelar?

Não há objeção para que isso se realize, mas devo dizer que isso é extremamente raro, porque as almas que vocês encontram são, de uma maneira geral, almas com quem vocês tiveram, pelo menos, numa mesma família, rusgas que não são verdadeiramente ligadas ao Amor, mas, antes, ao ódio e à destruição.

RAPHAEL – 4 de maio de 2010



Questão: o nome de família é importante?

Vocês são portadores de uma Vibração.

Os nomes de família foram um fechamento.

O nome que vocês usam, no nível familiar, não é liberação, mas fechamento.

Somente seu prenome está ligado, realmente, à sua origem estelar.

ANAEL - 16 de agosto de 2009



Questão: Você poderia nos alinhar no que você chama essencial?

O coração.

Eu entendo por coração, o centro do ser.

Isto corresponde tanto ao coração físico quanto ao que vocês chamam de Anahata chacra, quanto a isto que vocês chamam de ‘coração espiritual’.

A porta que conduziu, independentemente da transição, alguns seres humanos ao estado de ‘budado’, de ser desperto ou realizado é a porta do coração.

O yogi que quer ultrapassar, a título pessoal, a ilusão da vida, faz abstração de tudo o que não é o coração por aí aceder.

Não há outra solução.

Trata-se exatamente do mesmo processo que vocês devem viver.

Enquanto a questão de seu corpo, da sua família, de seu país, de seu dinheiro, de seu lugar de vida, de sua profissão, de seu apartamento, está presente, vocês não estão no coração.

Vocês se aproximarão do coração quando houver dissolução de todos seus pertences e de todas suas questões.

Certamente os elementos transmutados têm por vocação aproximá-los da porta do coração, mas somente vocês podem abri-la.

ORIONIS - 9 de agosto de 2007



O que vocês construíram nesta dimensão, através das relações (seja nas famílias, seja nas religiões, seja nas crenças), participou do fato que a Luz fosse ocultada, desviada.

Hoje, vocês devem passar do estado de prisioneiros para o estado de seres livres.

ANAEL – 27 de julho de 2009



...toda relação afetiva é necessariamente uma manipulação.

Exceto, obviamente, se ela se estabelece no coração e ela não pode ser estabelecida no coração se há reencontro cármico, se há relação cármica e se há relação familiar.

Entretanto, alguns membros de uma mesma família, obviamente conseguiram estabelecer uma relação no coração, mas isso necessita um esforço de consciência importante para abandonar os jogos de poderes, os jogos de seduções e as chantagens ligadas à afeição.

ANAEL – 22 de maio de 2009



Não há que ser julgado pelos membros da família ou da ex-família, não há tampouco que sofrer com relação a algo que pertence ao passado, porque desta maneira, você mantém em você fantasmas e você cristaliza nos casulos de Luz coisas que podem se tornar muito desagradáveis e desencadear um certo número de sintomas, ou doenças que, desta vez, podem ser muito graves, unicamente com relação a este apego de natureza familiar.

O.M. AÏVANHOV – 27 de julho de 2006



Muitos seres creem, nos tempos que vêm, já desde anos, que basta deixar pai, mãe, filhos, família, trabalho, para liberar-se.

Mas é uma ilusão.

Isso é uma liberação exterior, que não corresponde, de modo algum, a uma liberação Interior.

Geralmente, são mesmo seres que fogem de suas responsabilidades.

O Abandono à Luz não é isso.

O.M. AÏVANHOV - 11 de julho de 2011





Trechos extraídos das mensagens do site http://www.autresdimensions.com

Traduzidas para o português por:

Célia G. http://leiturasdaluz.blogspot.com e

Zulma Peixinho http://portaldosanjos.ning.com

Seleção e Edição: www.mestresascensos.com



http://minhamestria.blogspot.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário