atendimentos

BEM-VINDOS!

Orientações, consultas, partilhas e atendimentos: via skype ou presencial.

Para marcar um horário, escrevam para o email fernanda.manzoli@gmail.com

" Todos os tipos de relacionamentos proporcionam transformação, tomada de consciência e crescimento pessoal e espiritual "

Espero você para este sagrado encontro!!

Somos todos UM!

quinta-feira, 31 de maio de 2012

COLETÂNEA: CÉREBRO REPTILIANO - AUTRES DIMENSIONS

 




As modificações de seu cérebro são essenciais à vida na nova dimensão.
Seu cérebro apresenta, atualmente, uma constituição ternária, enquanto que a nossa, como povo Delfinoide, não obedece absolutamente a esta mesma organização e estrutura.
Isso se deve à própria criação de sua dimensão dissociada, há tempos remotos.
Entretanto, a estruturação de seu cérebro passou por certo número de riscos imprevisíveis, que levaram a inscrever, em vocês, códigos, eu diria, de luz falsificada, que tinham por objetivo, há cinco mil anos, induzi-los aí onde vocês estão, quer dizer, na ilusão.
Esses códigos foram instaurados pela potência de alguns seres, em relação com o que nós chamamos, nós, de Arcontes.
Os Arcontes são os deuses, assim como vocês, mas esses deuses decidiram suprimir o coração.
Esses deuses manifestaram-se em sua história em diferentes períodos.
Eles são extremamente ativos, hoje, mas não têm mais muito tempo.
Entretanto, não são eles que nos interessam, mas a marca que eles lhes impuseram no interior de seu DNA e no interior de seu cérebro.
É esta marca, chamada de marca da besta, no Apocalipse de São João, que os mantém prisioneiros nesta ilusão.
Os Arcontes, portanto, favoreceram, em suas estruturas cefálicas, o desenvolvimento de estruturas ditas arcaicas que tiveram, na época, por objetivo, mantê-los na escravidão e privá-los de sua Luz.

Questão: os Arcontes têm uma relação com os que chamamos os reptilianos?Eles são os reptilianos e eles são sua parte reptiliana, implantada em vocês, ao nível do que vocês chamam de cérebro arcaico.
AS AÇÕES DOS ARCONTES - RAMATAN - 08-07-2009


Então, é claro, o ser humano sempre teve medo, há sempre em nós, quando se está vivo, certo número de medos que se manifestam: os medos de abandono, os medos de faltar, os medos de estar só, os medos disso, os medos daquilo.
Esses medos estão ligados, obviamente, ao mental, dado que Sri Aurobindo lhes disse que o medo não é você.
Vocês são identificados ao seu medo, mas, quando um medo chega, se vocês dizem: «tenho medo», vocês cristalizam ainda mais o medo.
O medo não é você.
O medo, ele é segregado, como ele disse, pelo cérebro antigo, pelo cérebro reptiliano, mas ele não está absolutamente inscrito ao nível de seu Princípio transcendente.
Portanto, vocês não são identificados aos seus medos e, portanto, esta desincrustação de seus próprios medos não se realiza pela vontade, não se realiza por qualquer anamnese ou qualquer mergulho em seu passado, mas realiza-se apenas através, efetivamente, do Abandono à Luz, ou seja, passar, e nós o repetimos inúmeras vezes, da lei de ação/reação para a lei de ação de Graça.
Vocês não podem depender das duas leis, é por isso que eu falei de separação.
Não é a Luz que separa, é claro, são aqueles que aceitam a Luz e aqueles que recusam a Luz.
SUA MISSÃO É AQUI E AGORA, CADA MINUTO, PRESENTE NESTA DIMENSÃO - AÏVANHOV - 27-11-2010


Nós concebemos, como Arcanjos, que uma Consciência que foi fechada desde tempos imemoráveis nos mundos da limitação possa conservar, no interior de si mesma, certo número de medos da liberdade, certo número de medos da liberação.
Isto se ilustrará, como foi anunciado, exatamente após a liberação do Sol, pelo mecanismo de choque da humanidade, tal como descrito por Sri Aurobindo, que eu os convido a recordar-se.
Vocês compreenderão melhor assim o caminho realizado nestas algumas semanas que os liberaram de alguns obstáculos inscritos nas suas estruturas cerebrais e, em especial, no que foi chamado seu cérebro reptiliano, como engramas de medos, engramas de preservação, engramas ligados a manipulações genéticas que ocorreram em vocês mesmos, há tempos imemoráveis.
MIGUEL - 29-01-2011


A imagem, retenham essa palavra, tudo o que é imagem, é da magia feita para desviá-los do que vocês são.
«O essencial é invisível para os olhos.»
O que vocês veem com os olhos provoca-os inevitavelmente para a ilusão.
Os cinemas, o que vocês olham e que não é natural, como a caixa de imagens que chamam televisão, nada há de pior, porque vocês são seduzidos pela imagem.
E a imagem é ligada diretamente a zonas precisas ao nível do cérebro, que é ligado ao cérebro reptiliano.
Há imagens que se incrustam no interior da cabeça, vocês chamam isso a publicidade, que vão conduzi-los a uma sedução que não vem do Coração, que vem da noção de prazer e desprazer e que é ligada à falsificação.
Por conseguinte, sim, necessariamente, isso reduz o nível Vibratório.
AÏVANHOV - 13-02-2011


A história que conhecemos, a história que é mostrada, não é certamente a história do ser humano, como podemos perceber em uma escala de tempo muito mais longa do que o que é proposto pelos dados habituais, convencionais (e aos quais o conjunto da humanidade subescreveu, independentemente dela mesma, a título individual).
Esse ‘princípio de condicionamento’ está diretamente conectado ao cérebro reptiliano.
Está ligado ao que poderíamos chamar de passado, está ligado ao que poderíamos chamar de condicionamentos.
Portanto, histórias que não lhes pertence e que, no entanto, são submetidas, ao conjunto da humanidade, como reais.
O conjunto do que é denominado moralidade, o conjunto das leis sociais, econômicas, morais, familiares, afetivas, são oriundos desses condicionamentos.
Um ser humano vai se comportar de tal maneira, porque isso é assim.
Porque ele viu, porque ele ouviu, porque ele acreditou e porque ele se submeteu.
Evidentemente, esse princípio é regido pelo mundo de ‘egrégoras’ situando-se em diferentes níveis.

Enquanto vocês estão submissos a esse princípio de robotização, vocês confiam, de alguma forma, sua Consciência, a mecanismos automáticos.
Certamente, acalma o Espírito, mas, entretanto, não lhes permitirão jamais interrogarem-se sobre a finalidade e a causa de qualquer ação que vocês tomam.
Dessa maneira, então, esse princípio, que vocês chamam de Arimânico ou de robotização, ligado ao cérebro reptiliano, vai, permanentemente, condicionar toda a vida do ser humano (e não unicamente no que se refere à condução de um automóvel, vocês o terão compreendido).
Sobre ele vai enxertar-se uma série de medos, denominados ‘apegos’, denominados de diferentes maneiras, mas que, em todo caso, vai propiciar estratégias para o ser humano.
Essas estratégias são ditadas pelos medos, e não, ali não mais, pelo Consciente.
IRMÃO K - 06-07-2011


E aí, é claro, vocês constatarão, por si mesmos, que não há mais lugar algum para o medo, porque, aí, vocês reencontrarão a Eternidade.
Então, medo de perder isso, aquilo, esse corpo, esse pequeno dedo, esse órgão, essa vida, nada mais quer dizer, porque vocês reencontram a Eternidade.
Lembrem-se de que a programação reptiliana, de algum modo, é o cérebro reptiliano e que é o medo.
O medo está na base de todos os condicionamentos.
Ora, na Liberdade, não pode existir condicionamento algum e, enquanto vocês não cruzaram essa Porta, vocês continuam sob a influência da personalidade, ou seja, da necessidade de compreensão, da vontade de compreender, da vontade de apreender, de apropriar-se ou, ao contrário, de abandonar tudo.
Mas abandonar um ser ou uma situação não é abandonar-se à Luz, é exatamente o inverso.
AÏVANHOV - 11-07-2011


Agora, a partir do momento em que se penetram as esferas da Unidade (talvez não no início, quando é intermitente), mais se vai para este Abandono à Luz, mais é fácil desacoplar-se da dor e desacoplar-se, sobretudo, do medo da dor, porque o medo da dor, querendo ou não, é um processo que existe ao nível mental e, de maneira privilegiada, ao nível do cérebro reptiliano que lhes foi, e que nos foi, a todos, implantado, ou seja, insinuar o medo do mal e da dor.
Portanto, o ser humano passa seu tempo, de maneira consciente e inconsciente, enquanto não está reunificado, a lutar contra isso e contra aquilo.
Mas é preciso já, num primeiro tempo, desidentificar-se do medo da dor, porque quem é que tem medo?
É, obviamente, a personalidade.
O medo não está presente quando se toca a Unidade.
Na Consciência da Existência, na vivência dos diferentes estados de Paz e de Samadhi não há lugar para a dor.
Isso quer dizer que, mesmo se houvesse uma dor, o ser que está suficientemente nesse estado Unitário não é mesmo afetado pela dor.
No plano fisiológico ela está sempre aí.
AÏVANHOV - 28-03-2011


Vocês devem tentar viver e apreender em Consciência que aqueles que criam o Bem são os mesmos que aqueles que criam o Mal.
São as duas facetas de uma mesma peça ilusória.
Deus e Diabo são exatamente a mesma entidade que falsifica e que os inunda de julgamentos de valor, de julgamentos morais, de julgamentos mentais, impedindo-os, literalmente, o acesso à sua Unidade, o acesso ao Aqui e Agora.
Aqui e Agora, vários ensinamentos e vários professores orientais como ocidentais traduziram este Aqui e Agora como a cessação da atividade mental e a cessação da atividade emocional.
O mental não se situa no Presente.
O mental situa-se sempre numa referência ao passado.
A cognição, assim como vocês a nomeiam, é sempre procedente de um conjunto de fatos, situando-se em sua Ilusão passada, perpetuando-se na Ilusão presente, adaptando seus comportamentos a um conjunto de engramas presentes em seu cérebro comportamental que é, como por acaso, o cérebro reptiliano.
ANAEL E OS QUATRO PILARES - 17-10-2010


As transmutações de seus constituintes serão várias.
Elas são relacionadas tanto ao nível atômico como aos níveis subatômicos e celulares, como ao nível de sua estrutura de DNA, para que possam se movimentar na 5ª Dimensão.
Vários componentes de seu ser serão afetados de forma diversa, tais como alguns órgãos que estavam até então completamente ‘dormentes’ em sua idade adulta, para fornecer uma nova identidade.
O órgão que será reativado prioritariamente é o timo.
E o outro órgão que se seguirá em breve é a epífise [pineal], denominado ‘relicário’ de seu cérebro reptiliano, a qual se tornará muito mais espessa e será capaz de modificar completamente seu relógio biológico interno, porque, nesse momento, vocês passarão a uma consciência que não conhecerá mais a alternância entre vigília e sono.
Vocês vão se tornar seres conscientes durante a totalidade de seus dias e de suas noites, por ocasião da nova revolução de seu planeta, quando ele estiver próximo a uma oitava do Sol Central da galáxia.
Nesse momento, seus ciclos de dias e de noites vão durar 32 horas e vocês vão estar cientes, desde a sua descida em encarnação até o final de seus dias.
SÉRÉTI - O EVENTO DOS "TRÊS DIAS" - 2005


A emoção é, portanto, um vetor e a manifestação de um desejo, qualquer que ele seja.
Desejo que, portanto, remete a estruturas ainda mais arcaicas denominadas a vontade.
Vontade que, ela, não está inscrita no cérebro dito emocional – ou límbico – mas diretamente no cérebro arcaico chamado de reptiliano.
O desejo, geralmente, apenas faz manifestar ou traduzir uma vontade.
O que se esconde atrás desta vontade, seja ela chamada de bem ou de bela, é, sempre, e sistematicamente, a satisfação de uma falta, qualquer que seja.
O CORAÇÃO MENTAL NÃO É O CORAÇÃO SUPRAMENTAL - SRI AUROBINDO - 22-10-2010


A Alegria apenas pode existir quando o medo está ausente.
Todo medo, qualquer que seja, é um condicionamento do ego e, portanto, um não Abandono à Luz.
Enquanto vocês creem que dirigem, dominam, controlam a Luz, vocês não são a Luz, uma vez que, obviamente, vocês estão na distância em relação ao que vocês consideram como exterior.
Vocês permanecem no conhecido e, portanto, na limitação e, portanto, no sofrimento e, portanto, no medo.
Em outros termos, o medo ligado ao ego gostaria de desaparecer, incorporando a Luz no medo ou nas Sombras.
Isso é impossível.
A Luz deve tomar todo o lugar, expulsando todas as partes reptilianas de seu cérebro.
IRMÃO K - 03-07-2011


Pergunta: em sua última mensagem, MARIA propôs para monitorar nossos sonhos. Na medida em que eles se exprimem por símbolos, como podemos interpretar esses símbolos?Quem disse que precisava interpretar?
Porque, desde que há interpretação, há suposição, ativando mecanismos, ao nível do cérebro reptiliano, mesmo se eles são oriundos de um símbolo que, ele, não está absolutamente nesta parte Arimânica.
Por que querer interpretar um símbolo?
O sonho fala por ele mesmo.
Os sonhos significativos, mesmo se eles falam por imagem, contam-lhes uma história que deve ser tomada tal como ela é.
Certamente, pode existir uma interpretação correta, como pode existir uma variedade de interpretações.
Agora, eu penso que MARIA lhes falou, por aí, não de sonhos simbólicos, mas de sonhos perfeitamente reais, referindo-se ao que acontece sobre a Terra.
E não de sonhos rotineiros.
IRMÃO K - 06-07-2011


Esse Fogo por Atrito, chamado aniquilação de toda vida, é, de fato, apenas o desaparecimento da Ilusão.
Mas, obviamente, aqueles que estão inseridos nesta Ilusão não podem conceber outra coisa que a Ilusão, porque eles não têm acesso a qualquer multidimensionalidade e, para alguns deles, a multidimensionalidade pode mesmo ser chamada demoníaca ou satânica, demonstrando assim os medos ancestrais da Luz, implantados no interior de suas estruturas no cérebro reptiliano.
Vários de vocês, contudo, ancoraram e semearam a Luz, permitindo, como sabem, a reativação da Merkabah interdimensional e, portanto, a junção, a conexão, com os planos da Verdade absoluta.
ANAEL - 02-12-2010


Então, obviamente, o medo da morte está inscrito em seu cérebro reptiliano.
É um fator a superar, porque, até prova em contrário, a morte é considerada como o ato o mais horrível que possa acontecer à personalidade.
É claro, eis que ela não existe mais no momento da morte.
Portanto, ela vai tudo fazer para negar ou retardar a morte.
É o que foi chamado, eu creio, o instinto de sobrevivência, não é?
Este instinto de sobrevivência que, como seu nome o indica, está inscrito diretamente nos cérebros arcaicos, os cérebros dos répteis, que está em sua cabeça.
Por exemplo, se vocês colocam a mão sobre algo que queima, antes que sua Consciência diga: «isso queima», a mão será retirada.
Esse é o instinto de sobrevivência
Por conseguinte, vocês têm que lutar contra o instinto de sobrevivência.
Como?
Descobrindo a verdadeira Vida e não a «sobre-vida».
AÏVANHOV - 20-11-2010


Questão: poderia nos falar do 3º olho?O 3º olho é a Ilusão Luciferiana.
A glândula pineal não é ligada ao que lhes disseram os ensinamentos orientais modernos.
O Espírito não se encontra no cérebro reptiliano, mas unicamente no neo-córtex, em sua ressonância.
A glândula pineal pertence, inteiramente, à Ilusão da matriz.O Espírito não pode ser tocado pelo 3º olho.
O Espírito é tocado apenas quando o chacra dito do enraizamento do Espírito está aberto, o que estritamente nada tem a ver com a Ilusão Luciferiana situada ao centro do Triângulo Luciferiano, que foi chamado o 3º olho.
O 3º olho é diretamente ligado à ilusão do conhecimento induzido, em sua mitologia, por Lúcifer, Portador de Luz que leva a esmeralda na fronte.
Jamais o Espírito foi situado naquele nível.
O trabalho no 3º olho, assim como foi preconizado em várias escolas, espirituais e ocultistas do século XX, é a maior das falsificações que existiram, tendo-os afastado de seu Coração.UM AMIGO - 05-11-2010


Questão: como vão evoluir as estruturas cerebrais na 3D Unificada?Na 3D Unificada, a diferença essencial é que o núcleo reptiliano, implantado pelos maus rapazes, não existe e, sobretudo, não há qualquer estrutura cerebral que pareça com o ser humano que exista nos mundos Unificados, que é chamado de cérebro paralímbico, aquele que conecta com o Universo.
Eu creio que é chamada de zona do Divino, ao nível do cérebro humano, mas que está atrofiada no ser humano, que volta a se desenvolver normalmente na 3ª Dimensão Unificada.
O que explica que os seres, por exemplo, como as estruturas de 3D Unificada dos Vegalianos, têm uma grande cabeça.
AÏVANHOV - 19-09-2010


Nota MM: Até mesmo dentro da Ciência limitada desta 3DD encontramos estudos relativos ao cérebro reptiliano. Trata-se das pesquisas e da teoria do cérebro trino do médico e neurocientista americano Paul MacLean.
Aqui está alguns links que tratam desta teoria:

http://fotolog.terra.com.br/neuroscience:155
http://guerreirodaluzblog.blogspot.com/2009/05/teoria-do-cerebro-triunico.html
http://educarlos73.blogspot.com/2010/04/cerebro-triunico-de-maclean.html

E aqui está um pequeno trecho de um dos links que encontramos:

"O cérebro reptiliano: O arquipálio ou cérebro primitivo (répteis), ou "Brian Basal", chamado por MacLean o "R-complexo", inclui o tronco cerebral e o cerebelo, que é o cérebro mais antigo. É composto de estruturas do tronco cerebral - bulbo, ponte, cerebelo, mesencéfalo, o mais antigo núcleo da base - o globo pálido e pelos bulbos olfatórios. Em animais, como répteis, o tronco cerebral e cerebelo dominam. Por esta razão, é comumente referido como o "cérebro reptiliano". Ele tem o mesmo tipo de programas comportamentais arcaicos como cobras e lagartos. É rígido, obsessivo, compulsivo, ritualista e paranóico, é "cheio de memórias ancestrais". Ele continua repetindo os mesmos comportamentos outra e outra vez, nunca aprendendo com os erros do passado (que corresponde ao que Sri Aurobindo chama a Mente mecânica). Este cérebro controla os músculos, equilíbrio e funções autônomas, como a respiração e os batimentos cardíacos. Esta parte do cérebro está ativa, mesmo em sono profundo."
http://www.kheper.net/topics/intelligence/MacLean.htm


Trechos extraídos das mensagens do site
http://www.autresdimensions.com
Traduzidas para o português por:
Célia G. http://leiturasdaluz.blogspot.com e
Zulma Peixinho http://portaldosanjos.ning.com
Seleção e Edição: MINHA MESTRIA

Um comentário: