atendimentos

BEM-VINDOS!

Orientações, consultas, partilhas e atendimentos: via skype ou presencial.

Para marcar um horário, escrevam para o email fernanda.manzoli@gmail.com

" Todos os tipos de relacionamentos proporcionam transformação, tomada de consciência e crescimento pessoal e espiritual "

Espero você para este sagrado encontro!!

Somos todos UM!

sábado, 11 de janeiro de 2014

SRI AUROBINDO 17/06/2011 O AMOR UNITÁRIO E O AMOR DUALITÁRIO

O AMOR UNITÁRIO E O AMOR DUALITÁRIO - SRI AUROBINDO - 17-06-2011 - COM ÁUDIO

Rendo Graças ao autor desta imagem
 
SRI AUROBINDO
17/06/2011
 
O AMOR UNITÁRIO E
O AMOR DUALITÁRIO
 
 
Eu sou Sri Aurobindo.
 
Irmãos e Irmãs encarnados,
minha Luz Azul acompanha-os.
 
O âmbito de minha intervenção dessa noite está diretamente ligado à minha função, na ordem dos Melquisedeques, em relação com o Ar e, mais precisamente, com o que foi convindo chamar a Linhagem das Águias.

Eu venho a vocês para explicitar a diferença entre o Amor Unitário e o amor Dualitário.
Sempre para preparar, o melhor possível, a revelação da Luz Metatrônica que deve intervir dentro de pouco tempo.

Eu reconstituo, primeiramente, com vocês, se efetivamente quiserem, certo número de elementos dados nesse âmbito preciso, quando de minhas intervenções pontuais ligadas à Luz Azul.

Em dezembro de 2009 apareceu o primeiro Portal interdimensional, prefigurando a Fusão dos Éteres.
Depois disso, conduzi-me a desenvolver e a explicar certo número de elementos concernentes à Liberação do Núcleo cristalino da Terra, à Liberação do Sol e a certo número de consequências.
A primeira dessas consequências foi chamada, há alguns meses, o Choque da Humanidade.
A segunda consequência foi que, a partir daquele momento, após a Liberação do Sol e do Núcleo cristalino da Terra, os Arcanjos, pela voz de ANAEL, puderam comunicar-lhes um processo que permite conduzir a Luz Vibral, Supramental, diretamente ao Coração, sem ser obrigada a passar pela cabeça.

O conjunto dos eventos desenrolando-se, desde alguns meses, na superfície da Terra, concernente à fusão dos Éteres, preliminar ao aparecimento (visível para o conjunto da humanidade) da Luz branca, é o que é chamado, e convindo, o retorno do Cristo.

Permito-me, hoje, atrair sua atenção, sua Consciência, mas, também, seu mental, a certo número de elementos a terem em conta, concernentes ao Choque da humanidade e, sobretudo, a uma noção fundamental tão utilizada na humanidade encarnada.

Essa noção, é claro, é a palavra Amor.
Para atrair sua Consciência sobre o fato de que o Amor, para além dos conceitos, para além da vivência de cada um, para além dos afetos a que está ligada não corresponde à realidade Vibratória, tal como pôde ser percebida e descrita pela maior parte da humanidade, mas, simplesmente vivida por alguns seres que realizaram, inteiramente, o próprio Despertar ao Si ou à Unidade.

Então, será indispensável, para afinar sua preparação e viver seu Choque da humanidade, a título pessoal, de maneira a mais exata e a mais alinhada, desenvolver, para vocês, certo número de elementos.

Primeiro, a palavra Amor é a palavra que, na superfície da Terra, foi, certamente, a mais empregada, seja na relação entre dois seres, nas relações familiares e, também, é claro, num conjunto de ensinamentos, se se pode dizer, chamados religiões, filosofias, desde o budismo, passando pelo cristianismo, como religiões mais antigas ou mais recentes.

Convém, contudo, compreender que uma palavra, uma ideia, um conceito não basta para definir a realidade.
É apenas uma projeção.

Assim, o amor, para cada ser humano encarnado, será profundamente diferente em função de sua história pessoal, de seus traumatismos, de seus afetos, de suas próprias experiências na matriz.

O amor, frequentemente, é exprimido pelo centro de Consciência que é o mais naturalmente aberto na humanidade, ainda atualmente, que é o centro chamado Manipura Chacra, plexo solar.
O amor é, portanto, vivido como emoção no mundo da matriz, da Dualidade, e não é sem consequência na realidade do que vocês vivem e o que vocês nomeiam amor.
Isso está, obviamente, em total oposição e contradição com o que nós chamamos o Fogo do Coração ou o Amor Vibral, manifestado no acesso à Unidade, ao Si (não pondo mais em causa Manipura Chacra, ou plexo solar, mas, efetivamente, o chacra do Coração, Anahata Chacra), não mais como uma projeção, uma percepção, mas, verdadeiramente, como um estado Vibratório e de Consciência, em total oposição com o que o conjunto da humanidade, em sua vivência, chama o amor, e do que o conjunto das religiões chama o amor.

É, de fato, necessário, para aqueles que não vivem ainda a Vibração desse Coração, a conexão do Supramental e o derramamento da Luz Adamantina no Coração, colocar os fundamentos de uma compreensão mental com a qual, eu espero ajudá-los-á a ir para esse Amor Unitário.

O amor, no sentido da Dualidade da matriz, é um amor condicional.
Ele é, permanentemente, ligado às emoções.
O amor é, portanto, definido como uma atração e uma projeção sobre o objeto de seu desejo, sobre o objeto de sua consciência, sobre o objeto de sua atenção e mesmo sobre o objeto de sua própria espiritualidade, correspondendo a um objetivo a atingir exteriormente.

Isso pode ser chamado Deus; isso pode ser chamado um Salvador; isso pode ser chamado uma pessoa que se ama, sobre a qual se projeta um ideal, sobre a qual é projetada uma avidez, mesmo se isso não é chamado assim.

O amor, na dualidade, recorre a uma noção de completude que se satisfaz com uma reação, frequentemente de natureza emocional, afetiva, ou mesmo sexual, requerendo sistematicamente sua reprodução, porque ela é, por essência, por natureza e por Vibração, efêmera.

A emoção nasce e a emoção morre.
Assim é o amor humano, traduzindo-se por atrações e repulsões sucessivas, tais como são definidas na ilusão Luciferiana, chamada o Fogo Prometeico ou Fogo Luciferiano.

O fogo do ego não é nada mais do que isso: a necessidade de fundir com outro ego, outro corpo, outra personalidade ou mesmo com um conceito, uma ideia pertencente a um sistema de Crença ao qual o humano aderiu em um momento ou outro de sua existência e de sua experiência.

A característica essencial desse amor Dualitário é que ele não pode jamais ser satisfeito de maneira duradoura e que ele não trará jamais a Paz, porque ele é construído sobre o mundo emocional, sobre a própria Dualidade e sobre o princípio do bem e do mal.

O amor, no sentido da Dualidade, chama, inevitavelmente, o ódio, que é seu complemento lógico. O amor é chamado, para o conjunto da humanidade, o bem e o ódio, o mal.

Então, é claro, vocês todos constataram, em suas vidas, que, projetando seu amor numa religião, num ser, numa ideia, num conceito, num dia ou noutro, isso terminava, inevitavelmente, por uma insatisfação e uma necessidade de outra coisa. Porque assim é o amor, em sua acepção a mais romântica, como em sua acepção a mais trivial, onde sempre existe uma busca que se coloca exclusivamente no exterior, num evento exterior, num ser exterior e numa projeção conceitual, sempre exterior a si mesmo.

E é nessa projeção exterior, seja ela humana, social, espiritual, que se constrói a concepção do Amor, até mesmo fazendo provar sentimentos chamados «nobres» em algumas tradições, como a compaixão e a empatia, estritamente nada tendo a ver com o Coração Vibral e o Coração Unitário.

Assim, o conjunto da falsificação da Dualidade consistiu, justamente, em privá-los do Amor Vibral e fazê-los viver num amor-projeção, explicando a própria Dualidade e o prosseguimento dela, de maneira inexorável, se o processo de revelação da Luz não tivesse ocorrido e não permitisse uma extração total da Dualidade, como está em curso, atualmente.

Assim, o ser humano, de vida em vida, prova e sente amores ligados a relações.
Essas relações são, por definição, chamadas ação/reação, pertencentes à lei de Carma, fazendo com que, ao curso de cada vida, no decurso de cada encarnação, vocês reencontrem, sistematicamente, as mesmas circunstâncias, as mesmas condições, os mesmos seres com os quais vocês estabeleceram relações, de ódio e de amor.

As relações de hereditariedade, as relações da filiação hereditária são construídas estritamente sobre o mesmo modelo.
De fato, vocês escolhem sempre como pais, na matriz, seres com quem vocês viveram problemas de ódio, problemas de assassinatos, a fim de reparar, como foi dito, a lei de ação/reação e suprimir um carma.
Essa é uma visão desmembrada, fragmentária e, no olhar da Unidade, totalmente ilusória, aprisionando-os, de maneira formal e inegável, no que é chamado o Samsara, ciclo de reencarnações, que tem fim apenas na cabeça daqueles que construíram modelos de que era, assim dizendo, possível sair desse ciclo.
Isso é, também, uma ilusão total.

O amor aprisiona-os.
Ele aprisiona-os porque é concebido como uma projeção exterior, como um ideal exterior a vocês mesmos, a ser buscado numa satisfação emocional, mental ou conceitual.
Assim é o amor na Dualidade.

Ele é desmembrado, parcelado, fragmentário e afasta-os, permanentemente, da verdadeira dimensão Vibral do Coração e do Amor Unitário.
Essa é uma regra absoluta e, no entanto, o ser humano, em seus condicionamentos diversos e variados adotou isso como um objetivo a atingir, como uma certeza de que, de fato, é apenas a tradução de sua ignorância total da Vibração do Coração, da Luz Vibral e do que representa e manifesta a Unidade.

Assim, progressivamente e à medida de suas encarnações e de nossas encarnações, nós perdemos o próprio sentido da filiação espiritual, o próprio sentido do que representa o Amor Vibral, do que representa a Unidade, porque estávamos, permanentemente, ocupados a resolver nossos carmas, a agir segundo o princípio de Dualidade bem/mal e a referenciar o conjunto de nossas ações, de nossos comportamentos através dessa projeção exterior, que nós todos chamamos amor.
E que nada mais é do que a própria essência da falsificação Luciferiana, no Fogo Prometeico, fazendo com que, a cada noite, a cada dia e a cada vida, fosse necessário reconstruir, numa esperança de perfeição que, obviamente, não pode existir na matriz falsificada, devido mesmo à ruptura com sua multidimensionalidade, devido mesmo à sua reconexão possível à Fonte.

O conjunto do trabalho efetuado desde os Antigos, há 320.000 de anos, chamados Gigantes, passando pelo sacrifício dos Elohim a cada ciclo de 52.000 anos, pacientemente reconstruiu a possibilidade de viver o retorno à Unidade.
É muito exatamente isso que, hoje, joga-se sobre esse mundo, mesmo nessa Dualidade.
Isso se joga sobre esse mundo e se joga, estritamente do mesmo modo, ao nível Vibratório, ao nível da consciência, no interior de sua consciência fragmentária.

Falemos agora do Amor Unitário.

Naquele momento, o Fogo Prometeico ou Fogo Luciferiano será substituído pelo Fogo do Amor Vibral, Fogo do Coração, nada mais tendo a ver com uma projeção exterior.

O verdadeiro Amor, para além da Dualidade, é, de fato, uma filiação de natureza espiritual, nada mais tendo a ver com todas as leis existentes e que permitiram a instalação dessa matriz falsificada.

O Amor Vibral, como eu disse, exprime-se ao nível do chacra do Coração, e não do coração percebido intelectualmente, mentalmente, como uma atração, mas, antes, como um Coração em Paz, não tendo mais qualquer projeção exterior, qualquer desejo exterior, uma vez que o Coração, descobrindo-se a ele mesmo, não tem mais necessidade de nada mais do que viver-se a si mesmo.

Naquele momento, o conjunto do que é dito, como dizia UM AMIGO, o corpo de desejo vai apagar-se progressivamente, fazendo-os penetrar numa consciência diferente, chamada, pelos Arcanjos, de Turiya, correspondendo à Consciência Unificada, à Consciência da Luz Vibral.

A Fusão dos Éteres, o despertar das diferentes Coroas permitiu, hoje, colocá-los nesse limiar, na passagem da Porta Estreita, permitindo-lhes revelar, em vocês, esse Fogo do Coração, Fogo do Amor verídico, para além do fogo do amor Prometeico ou Luciferiano, que é uma projeção.

O Amor não é, portanto, uma projeção, na acepção Unitária, mas um estado de ser, não se importando com qualquer julgamento do bem e do mal, porque é estabelecido na Verdade, para além da Dualidade do bem e do mal, na Verdade da Vibração da Unidade.

Viver o Amor, no sentido o mais elevado, é correto.
O que ele é, em Verdade, para além da falsificação, chama-os a revelar, em vocês, o Fogo da Fonte, o Fogo do Espírito e o Fogo da Verdade.
Isso se traduz por certo número de sinais e sintomas, tais como lhes foram descritos durante esses últimos anos, no curso de diferentes intervenções efetuadas pelos Arcanjos, como pelas Estrelas ou também pelos Anciões.

Hoje, é indispensável, ao nível comportamental, que vocês aceitem que não podem manifestar qualquer amor de projeção e, ao mesmo tempo, viver um Amor da Luz Vibral.

O Fogo do Amor não é o fogo do ego.
O Fogo do Amor traduz-se por uma completude Interior, na qual nenhum desejo pode encontrar-se no exterior.

Existe, portanto, uma perenidade e uma estabilidade, no Fogo do Coração, que não pode existir na natureza emocional da personalidade.

O Fogo do Amor ou Fogo do Coração, chamado também Presença, como o desenvolverá o Arcanjo Uriel, traduz-se por um sentimento de plenitude.
É o instante em que vocês penetram em sua própria dimensão Interior de Cristo, ou seja, KI-RIS-TI, como Filho Ardente do Sol e não mais filho da matriz, pondo fim à filiação hereditária e restituindo-os à sua Liberdade, à sua Autonomia, tal como havia definido Irmão K, permitindo-lhes liberar-se de tudo o que é conhecido, de todas as Crenças e permitindo-lhes aceder, enfim, à Unidade.

A Unidade não se importa com o mundo exterior porque, assim que o Fogo do Coração é tocado, ele vai perceber o conjunto de manifestações, de comportamentos, de emoções, de afetos e o conjunto do que rege a vida nesse mundo, como ilusões, arrastando para sempre mais desejos e para sempre mais ilusões.

Viver o Fogo do Coração põe, portanto, de maneira decisiva, fim, inteiramente, à ilusão da matriz.

Pelo instante, e como o disseram os Arcanjos, vocês são os Semeadores e os Ancoradores de Luz, a partir do instante em que uma de suas Coroas Radiantes está desperta.
Resta-lhes, agora, aperfeiçoar o trabalho que fará de vocês Cristos, KI-RIS-TI, estabelecendo-se no Fogo do Amor.

O Fogo do Amor nada projeta.
O Fogo do Amor nada deseja, porque tudo chega a ele pelo próprio princípio da Ação de Graça, pelo próprio princípio da lei de Atração.

O Fogo do Amor não requer questão alguma, porque ele é, inteiramente, como já foi dito, a resposta.
Sendo você mesmo a resposta, não pode existir qualquer projeção exterior, não pode existir qualquer ilusão em seu próprio comportamento.

Quando o Fogo do Amor ilumina-os, naquele momento, vocês tomam rapidamente consciência do que é Luz e do que é Sombra em vocês.
Isso os obriga a portar um olhar lúcido, claro e preciso sobre a Verdade do que vocês manifestam, mesmo nessa Dualidade, e a distância que pode ainda existir entre o comportamento egoico da personalidade (ligado ao fogo do ego) e o comportamento altruísta, na totalidade, daquele que irradia o Coração e o Fogo do Amor.

Vocês são chamados, durante este período de revelação, a viver isso tanto ao nível coletivo como ao nível individual.

Obviamente, o resultado será profundamente diferente, segundo seu estado de consciência: ou vocês terão já tocado Turiya, o quarto estado de consciência (ligado ao Samadhi, à Paz, à Alegria, ao Fogo do Amor), ou vocês não o terão tocado quando revelar-se o Fogo do Amor na humanidade.
Esse momento está extremamente próximo.
Ele é, efetivamente, ligado à última intervenção do Anjo Metatron, ocorrendo em 11 de julho, em sua noite, na hora francesa (ndr: 11 de julho de 2011, às 3 horas da manhã, hora francesa no relógio – 10 horas da noite do dia 10 de julho, horário de Brasília).

Naquele momento será realizada a revelação da Luz branca, o retorno do Cristo em sua Dimensão, onde vocês estão ainda, por pouco tempo, prisioneiros.

Naquele momento, o Choque da humanidade revelar-se-á também e, de sua capacidade para apagar (pelo Fogo do Amor) o fogo da personalidade, para passar inteiramente pela Porta Estreita e para irradiar a Luz da Unidade, dependerá o estabelecimento de sua consciência na Paz, na Morada de Paz Suprema.

Resta-lhes, efetivamente, em termos humanos encarnados, pouco tempo para realizar essa última passagem.
Devo dizer, contudo, que as condições dessa passagem tornar-se-ão cada vez mais fáceis, devido mesmo à acumulação de Partículas Adamantinas, começando a estruturar-se na grelha do novo Éter da Terra, em forma de grade da Luz Vibral.

Os alinhamentos, o período que lhes é dedicado de alinhamento com a Merkabah interdimensional coletiva (ndr: de 19h às19h30, hora francesa no relógio – 14h às 14h30 no horário de Brasília), é também um dos elementos facilitadores da passagem no Fogo do Amor, afastando-os sempre mais do fogo do ego, de qualquer projeção, de qualquer espera nessa matriz.

Compreendam, efetivamente, que não é questão de pôr fim a essa vida, mas que é questão de pôr fim à Ilusão.

É a vida que se transforma, pelo Fogo do Amor e no Fogo do Amor, pondo fim à ilusão do amor-posse, do amor condicional, do amor experiencial e do amor falsificado, tal como foi revelado pela alternância Deus/Diabo, levada pela mesma entidade e a mesma raça de seres vindos da constelação da Ursa Maior.

Isso encontra, hoje, sua solução final, permitindo-lhes, a todos, sem exceção, sair da ilusão matricial dessa Dimensão.

Mas, é claro, lembrem-se de que a cada um de vocês, qualquer que seja a etapa do que vivam, fogo do ego ou Fogo do Amor, ser-lhes-á feito, muito exatamente, segundo sua Vibração.

Assim, a Revelação vivida da Luz branca conduzi-los-á ou a instalar-se, de maneira perene e definitiva, no Amor, ou de instalar-se, de maneira perene e temporária, no fogo do ego.

As diferenças de comportamento serão flagrantes.

Lembrem-se, contudo, de que a percepção é bem real, ao nível da ativação do chacra do Coração, em seu Fogo, traduzindo-se pela elevação da Coroa Radiante do Coração, esse amor espiral, no qual a Luz Azul e a Luz Branca alquimizam-se em seu Templo, revelando sua dimensão de KI-RIS-TI, de Filho Ardente do Sol.

Os comportamentos oriundos do Fogo do Coração são, obviamente, o oposto dos comportamentos oriundos do fogo do ego.
O fogo do ego manterá o medo, o fogo do ego manterá a distância entre vocês e o Coração, entre vocês e os outros; isolá-los-á, cada vez mais, nos horrores da desconstrução desse mundo e de sua dissolução.

Estabelecer-se no Fogo do Coração trará a vocês a serenidade, a Paz, necessárias para estabelecerem-se, no alarido do mundo, na Morada de Paz Suprema, que representa seu Templo Interior.
É para isso que vocês são chamados, doravante.

A revelação da Luz Metatrônica é a última etapa da revelação da Luz branca, revelando-se em vocês e por vocês, mas, também, sobre o conjunto da Terra, pondo fim a todas as ilusões do corpo de desejo, quer concirnam às esferas dos poderes os mais absolutos, como às esferas de poderes os mais limitados que possa exercer um ser humano sobre um povo ou outro ser humano.

O Amor Vibral, o Amor Unitário confere a Paz e confere, sobretudo, a ausência de vontade de desejo, a ausência de vontade de poder e a ausência de manifestação comportamental de qualquer desejo e de qualquer poder.

Naquele momento, e unicamente naquele momento, vocês poderão dizer que sua Casa está limpa e que vocês poderão acolher o Cristo em seu Templo Interior.

Os comportamentos e as Vibrações são seus guias os mais evidentes, mas sua consciência, ela mesma, será o guia o mais final.

Vocês realizaram a Paz ou vocês não realizaram a Paz?
Vocês estão na Alegria ou vocês não estão na Alegria?
Isso é extremamente simples, extremamente visível e extremamente perceptível e vai tornar-se cada vez mais, a partir da revelação da Luz Vibral realizada pela revelação de Yérushalaïm em suas estruturas, em seus novos circuitos e estruturas Vibratórias, unindo os diferentes pontos de sua multidimensionalidade.

Vocês são, portanto, chamados, um por um, a viver sua Ressurreição final, tal como eu havia escrito quando fui São João, sob o ditado do Cristo.

A hora da Ressurreição e do Julgamento, em seu sentido o mais altruísta e não mais condenatório, chegou.

Vocês são chamados, portanto, a entrar em vocês, a entrar em seu Templo Interior, a fim de apreender as engrenagens do Amor Vibral e de fazer sua escolha entre o fogo do ego e o Fogo do Amor.

Esse Fogo, compreendam efetivamente, que ele se estabelece apenas a partir do momento em que há, como o Arcanjo ANAEL disse, um Abandono total à Luz, um abandono total de toda veleidade da personalidade quanto às relações, aos apegos, a toda projeção de um desejo ou de um apego, qualquer que seja.

O ser humano é um espírito livre, confinado numa matriz que o priva de sua Liberdade.
Assim, vocês devem considerar o conjunto de seu ambiente, pessoal, societário, afetivo e o conjunto do planeta como totalmente livre, ele também.

Assim, vocês devem compreender e viver que, quaisquer que sejam suas relações e suas ressonâncias, existentes em suas diferentes esferas, é preciso abandonar toda veleidade de poder sobre o outro, reencontrar seu próprio poder Interior que é, justamente, a não manifestação de qualquer poder exterior.

Obviamente, para inúmeros de vocês, esse fogo do ego, que existiu até o presente, vai pô-los diante de desafios importantes.
Esses desafios concernem tanto às últimas relações existentes em vocês como no exterior de vocês, em relação a essa matriz, em relação às suas ilusões, em relação às suas projeções na continuação de um mundo que não existirá mais, dentro de muito pouco tempo.

Cabe a vocês viver o Amor Vibral, tornar-se Cristo, em Verdade e em Unidade.
Cabe a vocês não deixar mais lugar ao fogo do ego, ao seu desejo, às suas projeções, às suas veleidades de poder, quaisquer que sejam.

Aí está o que o conjunto dos Melquisedeques pediu-me para revelar-lhes e dar-lhes.

Nós demos, uns e outros, certo número de elementos que lhes permitem completar essa passagem do fogo do ego ao Fogo do Coração.

Lembrem-se de que a Luz Vibral é agora onipresente.
Ela começa a trançar a trama da Liberdade, a trama da Autonomia, extraindo-os, inteiramente, dessa ilusão.

Cabe a vocês disso aproveitar-se, cabe a vocês ali estabelecer-se, cabe a vocês vivê-lo, cabe a vocês Vibrá-lo.

Compreendam, efetivamente, também, que isso, agora, não é mais uma diligência, que isso não é mais um trabalho, que isso é apenas um estado a realizar, porque ele está presente, agora e já, à sua disposição, devido à própria presença das Partículas Adamantinas, devido à própria presença da Vibração Arcangélica que depositou-se, por intermédio de Metatron, ao próprio centro de sua cabeça.

Vocês têm, portanto, em vocês, todas as capacidades para pôr fim às suas próprias ilusões.
Vocês têm, portanto, em vocês, todas as capacidades para passar do amor Dualitário ao verdadeiro Amor.
Cabe apenas a vocês, como sempre foi enunciado e anunciado claramente, realizar essa passagem e, para isso, vocês não devem contar nem com seu ego, nem com ninguém mais.
Vocês devem reencontrar, portanto, o que é chamado sua própria mestria Interior.
Esta pode aparecer apenas se vocês fazem cessar o conjunto de toda projeção exterior e percebem, em sua lucidez, o que é o estado de consciência Vibral da Vibração do Fogo do Coração.

Irmãos e Irmãs encarnados, foi uma grande alegria, para mim, prepará-los, mesmo no mental e comportamental, ao derramamento total do Supramental, que está agora às suas portas, veiculado pelo Anjo Metatron.

Se existem, exclusivamente em relação ao que acabo de emitir-lhes, interrogações, então, gostaria de aportar uma iluminação talvez suplementar, se isso me é possível.
 
Questão: a doação de si não é o reflexo de um ego dissimulado?
 
Caro Irmão, assim como o exprimiram o Comandante (ndr: O.M. AÏVANHOV) e UM AMIGO antes de mim, é, de fato, possível mascarar o ego através de uma doação de si total, um ego, de algum modo negativo e discreto, que crê ter encontrado, assim, sua Unidade.

Basta compreender que, quando vocês realizam o Fogo do Coração, naquele momento, vocês se dão a si mesmos, porque a natureza do Coração é de dar-se, mas não a natureza do ego.
É por isso que eu falei de ego negativo.

O ego que quer apagar-se, pela própria ação do ego, para encontrar a Unidade, não é a mesma coisa que a realização da Unidade pela Vibração e pelo comportamento da doação, que estritamente nada tem a ver.

A doação de si, no ego, não é a doação de si no Coração.
Os comportamentos, as manifestações não são, de modo algum, as mesmas, pela Vibração e pelo que pode ser observado, de maneira cada vez mais clara, no exterior.

A doação de si, por um ego negativo, é uma necessidade de reconhecimento e uma necessidade de amor.

Aquele que encontrou o Amor em si, pelo Fogo do Coração, é o Amor.

E não há, portanto, necessidade de um amor exterior, nem de um reconhecimento exterior, qualquer que seja.
Ele abandona todo papel, toda função e toda esperança numa ação qualquer do exterior, mesmo agindo, por sua própria irradiação, no Fogo do Amor.
 
Questão: como passar de um amor matricial por uma pessoa ao estado de amor Unitário?
 
Cara Irmã, o amor matricial por um ser, como por uma situação, como por um filho, como por um patrão, como por um Deus pertence, como você diz, ao fogo do ego.

Não há, portanto, que se colocar a questão de como passar do fogo do ego, da atração para um ser, ao Fogo do Coração.
Isso se realiza quando há um Abandono.
O que não quer dizer abandonar uma pessoa, mas abandonar-se, a si mesmo, ao Fogo do Amor.
 
Não temos mais perguntas. Agradecemos.
 
Caros Irmãos e Irmãs, então, terminarei por essas palavras:

A Fusão dos Éteres, realizada pela Luz Azul que se instala sobre esta Terra permite viver, hoje, mesmo na matriz, em seus aspectos os mais físicos, sua carne, como a carne da Terra, o mecanismo Ascensional.

O Fogo e a Água, Fogo do Coração e Água do alto revelam-se, doravante.
Isso se traduz pelo que é observável, de maneira direta, nos elementos que se desenrolam atualmente sobre esta Terra.
E são apenas o impulso inicial do que vai rapidamente estabelecer-se, até 11 de julho.

Estejam atentos, levem sua consciência e sua atenção, quaisquer que sejam, sobre as manifestações e as projeções que vocês conduzem em suas vidas, não para condená-las, não para serem culpados, mas unicamente para estarem lúcidos quanto à finalidade.

Será que a finalidade é a satisfação de um desejo efêmero, chamado amor matricial, ou será que a finalidade, a manifestação, está diretamente ligada ao Fogo do Coração?

O Fogo do Coração é uma Vibração, mas é, antes de tudo, lembrem-se, um estado de ser, como lhes diria e disse, já, o Arcanjo Uriel, onde não existe qualquer questionamento, porque tudo é a resposta e vocês são a resposta.
Inteiramente, em Unidade e em Verdade.

É isso que há a revelar em vocês; é isso que há a superar, não como uma imposição, não como uma contrariedade, mas, efetivamente, como uma evidência que se revela, a cada dia, agora.

O Choque da humanidade representa, a título individual, apenas a rejeição do Fogo do Amor ou a aceitação do Fogo do Amor.

Vocês não podem manter um amor ilusório e um Amor Vibral.
É um ou o outro, em seus comportamentos, em suas Vibrações, em seu ser, em sua carne, em sua alma e no Espírito que se manifesta doravante a vocês.
Assim, trabalhem, trabalhem para compreender que não existe qualquer distância entre vocês e o Si, que a distância que podia aparecer-lhes grande, entre o estado fragmentário e o estado Unificado, não existe mais.

Vocês podem, verdadeira e concretamente, passar de um ao outro, na condição de viver a Vibração.

UM AMIGO insistiu longamente, quando do desvendamento de seus diferentes Yogas, permitindo prosseguir o trabalho que eu havia começado no Yoga Integral, através do Yoga da Unidade, para permitir-lhes manifestar o fato de que sua Consciência É a Vibração.

O conjunto das atenções que vocês portaram sucessivamente sobre as Estrelas, sobre os Corpos e sobre as próprias Vibrações que percorrem seu corpo tem por vocação, hoje, facilitar seu estabelecimento na Vibração exata, da Verdade, da Unidade e do Cristo revelado e desvendado em vocês.

Vocês são, portanto, chamados, todos, sem exceção, para isso, mas nós não podemos, eu repito, realizar isso em seu lugar.

A preparação foi vivida, por inúmeros de vocês, sobre a Terra, como porta-estandartes da Luz, como vetores da difusão da Luz.

Como foi dito por outros Anciões, alguns se apropriaram dessa Luz, como uma posse do ego.
Vocês não podem apropriar-se do que vocês já são.
Ou seja, Luz e Amor.

Vocês têm apenas que conscientizar-se disso.
Para isso, é preciso tornarem-se transparentes e totalmente claros consigo mesmos e com o resto de seus Irmãos e de suas Irmãs e com o resto do conjunto da humanidade, mesmo, e sobretudo, nessa matriz.

Essas serão, de algum modo, minhas palavras de conclusão para hoje, esperando ter-lhes sido uma ajuda, mesmo mínima, concernente à compreensão e à vivência e à diferença essencial existente entre o amor do ego e o Amor do Coração.

Não tanto como conceito ou ideia, mas, efetivamente, na Vibração da própria consciência.
 
Irmãs e Irmãos, minha bênção, na Luz azul,
revela-se agora.
 
Eu lhes digo até muito em breve.
 
Áudio da Mensagem em Francês

Link para download: clique aqui


Áudio da Mensagem em Português

Link para download: clique aqui
 
Mensagem de SRI AUROBINDO,
pelo site Autres Dimensions
em 17de junho de 2011
 
Rendo Graças às fontes deste texto:
Tradução: Célia G.

http://amorporgaia.blogspot.com.br/
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário