atendimentos

BEM-VINDOS!

Orientações, consultas, partilhas e atendimentos: via skype ou presencial.

Para marcar um horário, escrevam para o email fernanda.manzoli@gmail.com

" Todos os tipos de relacionamentos proporcionam transformação, tomada de consciência e crescimento pessoal e espiritual "

Espero você para este sagrado encontro!!

Somos todos UM!

sexta-feira, 13 de julho de 2012

ARCANJO ANAEL



Eu sou ANAEL, Arcanjo.
Bem amados Filhos da Liberdade,
recebam Graças, Bênçãos e a minha Presença.

Eu venho a vocês, enquanto Arcanjo do Amor, a fim de, ao mesmo tempo, entregar-lhes uma série de complementos referentes ao Amor, à Unidade e ao Absoluto, e também ver se persistem, em vocês, alguns questionamentos com relação a essas três palavras.

O Absoluto contém o Amor, ele contém a Unidade, ele contém a Dualidade, ele contém a sua Presença em meio a este mundo, ele contém o Ser, ele contém o conjunto do que, do ponto de vista onde vocês estão, não pode ser conhecido, na totalidade.

O Amor, uma palavra que por tanto tempo foi utilizada porque ela corresponde ao que subtende e manifesta o Absoluto, além mesmo da sua própria manifestação.

O problema sendo que o homem chama de amor tudo o que, para ele, representa algo conhecido e vivenciado como um objeto de desejo, como uma manifestação, como uma percepção, em meio ao que é nomeado o Absoluto.

O Amor é, portanto, o que subtende a totalidade do Criado, como do Incriado.

Este Amor não tem qualquer comparação com o que o homem chama de amor, em meio ao que é chamado de sua presença sobre este mundo, em meio até do que é chamado de sua transformação atual, denominada, desde algum tempo, Filho Ardente do Sol, Coroa Radiante do Coração ou diferentes manifestações, inscritas em suas estruturas físicas, tendo lhes permitido, durante esses anos, manifestar, realizar, o que foi chamado de Si.

A Realização não é o Amor, a Realização não é o Absoluto.
Eles podem ser, para alguns de vocês, as primícias, a prefiguração e a antecipação, mas não correspondem, em caso algum, ao Amor Absoluto ou ao Absoluto Amor, nomeado também o Último.

Existe, na realidade, do próprio princípio da falsificação deste mundo, do confinamento deste mundo no qual vocês são prisioneiros, uma série de elementos (ligados à localização específica em um corpo, em uma consciência, em um pensamento, em certo número de mecanismos) que lhes permite evoluir, com toda consciência (que ela seja fragmentada ou unificada), em meio à sua presença sobre este mundo.

O Absoluto e o Amor, em meio ao Absoluto, não podem, em caso algum, nem ser uma percepção, nem mesmo ser uma Vibração da consciência, mas é, sobretudo, a Transparência a mais total, fazendo com que, desde que vocês se juntem a essas esferas, além deste corpo, mesmo em meio ao corpo de Estado de Ser, ou ainda no Absoluto, vocês se tornem, vocês mesmos, esta Transparência.

A Transparência de que falo não é um conceito moral, nem social, e ainda menos uma visão da mente.

A Transparência é uma realidade metafísica consistindo em se tornar Transparente, ou seja, em deixar-se atravessar por todas as ondas, por todos os espectros de frequência, por todos os elementos presentes neste mundo, como no conjunto dos multiversos, assim como das Dimensões, desde aquela onde vocês estão até a FONTE e até o que engloba, além da FONTE, o Absoluto.

Enquanto esta Transparência não for estabelecida, enquanto existir, em vocês, sobre este mundo, uma vontade particular de Luz, vocês não podem ser a totalidade da Transparência.

Eu me explico: desde alguns anos, antes das Núpcias Celestes, eu havia explicado a vocês (com palavras e pelas Vibrações) o que era o Abandono à Luz.

De fato, o Abandono à Luz permitiu transformar esta estrutura alterada, nomeada corpo falsificado, em estrutura de carbono, dissociado, a fim de acolher, em meio a este corpo (que vocês o chamem de Templo ou de saco, não tem qualquer importância), porque é em meio a este corpo que é realizada a alquimia tendo lhes permitido, pela ação da Luz, acolher a Luz, tornar-se um KI-RIS-TI, viajar no corpo de Estado de Ser, ou manifestar a Consciência pura, a Consciência unificada, a Consciência do Si.

A um dado momento, apareceu, sobre esta Terra, um mecanismo que lhes era estritamente desconhecido, pelo próprio fato da falsificação.

Isso foi seguido, algum tempo depois, pela Liberação do Sol e pela Liberação da Terra, como uma onda específica nomeada Onda da Vida ou Onda do Éter, vindo restitui-los à sua raiz estelar, à sua raiz intraterrestre.

Esta Onda da Vida e suas características (que lhes foram explicadas e que vários de vocês vivenciaram), contribuíram, de algum modo, para estabelecê-los, pelo Manto Azul da Graça, pela Liberação dos Éteres e pela Fusão dos Éteres, em sua própria Liberdade.

Muito além deste mundo, muito além da sua Presença, muito além da sua Consciência, quer ela seja fragmentada ou unificada.

Isso permitiu, eu o espero, para vários de vocês, sobre esta Terra, dirigir-se para este Abandono do Si, a fim de tornar-se o que vocês São, de toda Eternidade, além de toda forma, além de toda Presença, e além de toda Consciência.

Fazendo de vocês, ao mesmo tempo, Filhos da Liberdade e, como nós o desejamos para vocês, Liberados Viventes, o que aquele que se nomeia BIDI denominou Absoluto da Forma.

Isso lhes propiciou viver estados não ordinários, não conscientizados, onde existe algo que não pode ser chamado de Consciência, que não pode ser chamado de Si, que não pode ser chamado de Realização, de maneira alguma, porque isso corresponde ao que vocês São, em toda Eternidade.

Nós lhes dissemos também que vocês estavam Livres e Liberados, qualquer que seja a localização de uma Consciência em meio ao Si ou da não consciência ligada ao não Ser e ao Absoluto.

Há, de fato, não uma progressão, mas elementos que se distanciam uns dos outros.

O Abandono à Luz realiza o Si.
O Abandono do Si realiza, se pudermos dizer, o Absoluto.
O Absoluto está além de qualquer implicação em meio a este mundo.

Isso faz de vocês Seres Liberados Viventes, não tendo mais manifestação, nem atração, em meio às Dimensões intermediárias, nem mesmo em meio à FONTE, mas os faz, em última instância, perceber que vocês são um ponto do holograma contendo, nele, a totalidade do holograma.

Não existe melhor expressão do que aquela que eu acabo de dar a vocês: o holograma é constituído de um conjunto de pontos que reproduz, nele mesmo, a totalidade do conjunto dos outros pontos presentes em meio ao holograma.

É nesse sentido que nós insistimos sobre o fato de que nós estamos, em vocês, primeiramente.
É nesse sentido que é projetada a Consciência, em meio ao Si, tendo permitido realizar o Canal Mariano, a ativação desse Canal Mariano, a sua constituição, dando-lhes a perceber, dando-lhes a viver e a Vibrar as diferentes Presenças que, hoje, se manifestam, para vários de vocês, em meio a esse Canal Mariano, à esquerda deste corpo físico ou na parte de trás deste corpo físico.

Essas Presenças, como isso foi anunciado por MIGUEL (Nota:
sua intervenção de 05 de junho de 2012) e, desde muito pouco tempo, por MA ANANDA MOYI (Nota: sua intervenção de 30 de junho de 2012), são elementos que vão assisti-los durante essa Passagem, conforme foi especificado para esses tempos que se aproximam, como prenunciado e antevisto, desde quase sete anos, pelo Guia Azul nomeado SÉRÉTI (Nota: sua intervenção de 04 de julho de 2005).
Hoje, vocês estão nesses momentos.

Vocês estão, na realidade, na data do mês que corresponde a esta Liberação e a esta Passagem, devendo conduzi-los, não ao desaparecimento do que é chamado, de forma humorística, de planeta-grelha, pelo Comandante dos Anciãos, mas, sim, para realizar o que vocês São, de toda Eternidade, ou seja, o Absoluto.

Nesse sentido, o Abandono do Si pode se traduzir, para vocês, por um sentimento de perda de referências, de perda de consciência, e é muito exatamente o que ele é.

A consciência corresponde, em seus diferentes aspectos, ao Eu, à consciência de uma distância (mesmo se a distância desapareceu), à consciência de uma existência (mesmo se a existência cessa).

É isso que lhes é oferecido hoje: tornar-se de novo o Tudo, ou seja, não ser mais nada neste mundo a fim de ser Abandonado, na totalidade, ao que vocês São, de toda Eternidade.

Nós estamos perfeitamente conscientes de que vários de vocês têm necessidade de realizar certo número de experiências em meio aos Mundos Unificados e, por vezes, em meio aos próprios Mundos de carbono.

A Liberação, como isso foi anunciado pela FONTE, consiste em fazê-los relembrar e viver o que vocês São, de toda Eternidade.

O contato com as outras Dimensões acontece, atualmente, pela Presença, ao lado de vocês, de qualquer Presença que vocês chamarem, que vocês nomearem, e que estaria presente no mesmo espaço que o seu.

A presença efetiva dos Seres multidimensionais consiste em fazê-los reencontrar a sua Essência, em fazê-los manifestar, conscientizar além da consciência, para, enfim, aniquilar a própria consciência, a fim de fazer cessar o Eu, a fim de fazer cessar o Si, a fim de fazer cessar qualquer forma de exteriorização, qualquer forma de interiorização e fazê-los penetrar nos espaços absolutamente virgens, nomeados o Absoluto, do qual, evidentemente, nada pode ser dito, nada pode ser exprimido porque isso está além de todo conceito, de toda percepção, de toda Vibração, de toda experiência e de todo estado.

Dessa maneira, as etapas preliminares, vivenciadas durante o seu inverno (verão, no hemisfério sul) que acaba de transcorrer (nomeadas Comunhão, Fusão, Dissolução, Multilocalização e ausência de localização), são estados requisitados e nomeados Últimos permitindo-lhes, se tal for a sua Vibração, permitindo anulá-lo a fim de encontrarem-se no que, do seu ponto de vista, vocês poderiam chamar de Nada, de Vazio, mas que de fato, do ponto de vista do Absoluto, é a Plenitude.

Nós sempre lhes dissemos, no período durante as Núpcias Celestes, que vocês estavam invertidos, que o que vocês chamavam de luz visível com os seus olhos era apenas, de fato, uma luz refletida, alterada, ligada ao próprio princípio do Eixo ATRAÇÃO-VISÃO falsificado nas Cruzes da cabeça, tendo alterado as suas próprias percepções, a sua própria filiação e a sua própria possibilidade de conexão com a realidade do que vocês São, além de todo ser.

Tudo isso cessa, neste momento mesmo.
Tudo isso se revela, neste momento mesmo, aguardando apenas mais o sinal final da Terra que foi liberada.

A Terra foi liberada a partir do momento em que a Onda da Vida apareceu, no decorrer do seu primeiro trimestre do ano de 2012.

As consequências desta Liberação são visíveis ao nível das manifestações e das modificações geofísicas planetárias, tanto ao nível do seu clima, do seu solo, dos seus vulcões, como do ar que vocês respiram, desde o Sol e até os confins do conjunto dos universos, resultante do alinhamento galáctico com Alcyone.

Hoje, vocês estão diante desta etapa, diante da Porta Estreita, convidando-os a Passar.
Nós estamos aí para iluminar a Passagem, mas nós não podemos Passá-la no lugar de vocês.

Existe, portanto, um princípio, que foi nomeado, no seu tempo (que se desenrola para vocês, atualmente, de maneira mais ou menos intensa, e mais ou menos adiantada),
o Choque da humanidade que é, de fato, o seu Choque individual.

Os pontos de atração da sua consciência, em meio a este mundo (nomeados apegos, nomeados experiências), estão para cessar, não se desviando deles, mas, como isso foi enunciado, de maneira variada, por BIDI, mudando de ponto de vista (refutando).

Na realidade, apenas por essa mudança de ponto de vista, que não é uma atitude mental, mas, sim, um deslocamento total da consciência, é que os leva a ver este corpo para o que ele é, a ver a sua vida para o que ela é, e a ver o mundo tal como ele é, permitindo então remover, de vocês, os últimos Véus do isolamento.

Esses últimos Véus de isolamento não se referem somente ao ‘sistema de controle do mental humano’, assim como à matriz astral (que, como vocês sabem disso, ao nível coletivo, foi dissolvida em seu tempo), mas para ir muito além, ou seja, para desenredar-se, vocês mesmos, das ligações de apegos.

Para desenredar-se, vocês mesmos, em primeiro lugar, da ligação de apego a mais formal correspondendo a si mesmo ou, em todo caso, ao que vocês creem ser em meio a este corpo, em meio a esta vida, e em meio à expressão da vida falsificada e alterada neste mundo.

A sua liberdade é total, em um sentido como no outro.
Não se trata de uma liberdade de escolha, porque isso (pelo que vocês vivenciaram, para alguns de vocês, desde várias vidas) não é somente uma qualidade Vibratória, mas, sim, uma preparação que os leva a apresentar-se diante do limiar: o limiar da ruptura do efêmero, levando-os a fazer cessar todo efêmero.
O apelo da Luz que deve se manifestar de maneira mais audível e mais visível aos seus olhos de carne, pela Luz solar, pelo Apelo de MARIA, pelas ressonâncias das Trombetas do Céu e da Terra, em vocês, vai levá-los, dentro de pouco tempo, em termos terrestres, a conscientizar tudo isso e a decidir, com toda Lucidez, com toda Clareza, com toda Precisão, se vocês querem manter uma forma qualquer de experiência ou voltar a alcançar o que foi nomeado Shantinilaya, ou seja, as Moradas da Paz Suprema, onde nenhuma experiência pode vir perturbar o que vocês São, de toda Eternidade.

Apreendam-se bem de que isso não pode ser, em caso algum, um e outro.
Não pode ali haver e existir preservação de qualquer forma, em meio ao Absoluto.
Entretanto, a experiência da consciência desenrolando-se de maneira simultânea, além de todo tempo e de todo espaço e de toda Dimensão, irá fazê-los perceber, naquele momento, que vocês são, efetivamente, o Tudo e que somente a projeção de vocês mesmos, antes que a alteração tivesse ocorrido, atuou no sentido da manifestação de uma consciência vendo-se ela própria, experimentando-se ela própria, alegrando-se dela própria.
Aliás, a Unidade se manifesta pela Alegria.

Hoje, mesmo esta Alegria deve ser, de algum modo, refutada, como diria BIDI, a fim de permitir-lhes ir para a Morada da Paz Suprema, que está muito além da expressão da Alegria, muito além da expressão do riso, muito além da Consciência Unitária, pondo fim à fragmentação.

Nós estamos perfeitamente lúcidos de que nós demos o conjunto das escolhas, o conjunto das possibilidades, o conjunto dos cenários, o conjunto do que era da ordem do possível e do impossível, para vocês.

Em última análise, há apenas vocês, e vocês sozinhos, que irão decidir Passar ou permanecer.
Apreendam-se bem, entretanto, de que a Ascensão da Terra é, sim, um mecanismo real, modificando a estrutura física de maneira a mais importante possível, com certo número de fatores geofísicos enunciados a vocês, desde alguns anos, pelo Comandante dos Anciãos.
Vocês estão frente a vocês mesmos, vocês estão frente ao que vocês nomeiam a morte.
A morte é um novo nascimento.

Se a lagarta aceita se tornar borboleta, é evidente que a lagarta não mais existe.
Esta Transfiguração ou transubstanciação (porque essa é uma), consiste também, para alguns de vocês, em superar toda identificação a uma forma, mesmo ao corpo de Estado de Ser, ao corpo de Luz ou aos corpos os mais etéreos da criação, a fim de recomeçar na ausência total de projeção de qualquer consciência e de estabelecer-se na Morada da Paz Suprema, de maneira (eu diria, em seus termos apreensíveis) definitiva e irremediável.

O que guia a consciência e a Vibração, o que guia (se eu puder me expressar assim) o Absoluto, é a sua capacidade para abandonar o Si, para abandonar a Alegria e para abandonar tudo o que pode estar associado a alguma manifestação da consciência, mesmo a mais Unificada, a mais próxima do Último que seja.

Isso representa, de qualquer forma, um desafio porque, como vocês sabem disso, a Passagem da Porta Estreita não é, na verdade, uma Passagem de um ponto a um outro ponto, mas é a Passagem de um ponto ao conjunto de todos os pontos.

E isso pode representar, efetivamente, mesmo em meio à Consciência Unitária, algo impensável porque aterrorizante, porque vindo perturbar a tranquilidade da consciência manifestada em meio ao Si.

Vocês têm a Liberdade total de viver o que é para viver, em função do que a sua consciência desejar.
Ou ela deseja se expandir e continuar a experiência da expansão (mesmo nos corpos de Luz os mais etéreos, mesmo em meio às suas famílias estelares, mesmo elas as mais afastadas deste sistema solar) ou, então, decidir pôr fim às experiências.

Não para retornar ao Nada ou à FONTE, mas, sim, para conscientizar, superando-o, de que vocês são o Tudo.

Cabe a vocês, portanto, não compreender, mas deixar trabalhar a Consciência, ou em meio ao seu Abandono, ou em meio à sua persistência, a fim de acompanhar o movimento Ascensional final da Terra que começa hoje.
Nos próximos dias, o Arcanjo METATRON, seguido do Arcanjo MIGUEL e de MARIA, irão lhes dar os elementos Vibratórios, muito além das suas palavras, da sua Presença, ao lado de vocês e em vocês, permitindo-lhes esclarecer o que deve sê-lo.

Este esclarecimento poderá parecer, para muitos de vocês, como um esclarecimento particularmente cru, ou mesmo cruel, porque, se vocês estiverem apegados a alguma forma, se vocês estiverem apegados a alguma Consciência, isso não poderá acontecer da maneira a mais absoluta, da maneira a mais autêntica, mas provocará uma série de resistências.

Isso foi abordado por aquele que vocês chamam de Bem Amado João ou SRI AUROBINDO, referente à Fusão dos Éteres e, sobretudo, ao Choque das humanidades (ndr: ver, em particular, a
intervenção de SRI AUROBINDO de 17 de outubro de 2010).Vocês entraram neste período do Choque da humanidade, hoje.Cabe a vocês definir o que é para salvaguardar.
Cabe a vocês definir o que é o seu futuro, nesses tempos extremamente reduzidos, consistindo nesse mês nos prazos dados pelo Guia Azul SÉRÉTI e anunciado, desde vários anos, por ele próprio, assim como por outras Consciências.

A nossa Presença, ao lado de vocês e em vocês, além da percepção, deve dar lugar, aí também, à Fusão, ou seja, exprimindo-me através daquele que eu guardo (ndr: ANAEL faz referência ao canal Jean-Luc AYOUN), vocês devem também compreender e viver, além de todo intelecto, além de toda Vibração, que eu sou também vocês mesmos e cada um de vocês.

Somente a sua consciência limitada, fragmentada e projetada pode fazê-los imaginar que há uma distância, uma separação, entre a formiga e a FONTE.

Em última instância, e como BIDI lhes dizia (e como vocês poderão vivê-lo), se tal for o seu Abandono, não existe qualquer diferença entre o átomo, o sistema solar, os universos, os multiversos e as Dimensões.

O conjunto do que eu acabo de descrever são apenas projeções da Consciência em diferentes esferas, tendo permitido ao Absoluto exteriorizar-se em meio à FONTE e manifestar o que foi nomeado a Aventura da Consciência.

É, na realidade, sedutor (para o ego, assim como para o Si) considerar que a aventura seja sem fim, e essa é a sua Liberdade a mais total.

É também o nosso dever, de algum modo, mostrar-lhes, desde alguns meses, e fazê-los viver (pela própria Terra e pela sua ação) a ação da Onda da Vida na Liberação que está em andamento, e a sua capacidade e a sua possibilidade de ser, por sua vez, não mais um ponto do holograma, mas a totalidade do holograma, contendo o conjunto dos pontos da Criação, desde o átomo, passando pelos universos e pelos multiversos.

A qualidade além da Vibração, a qualidade além do Ser (que eu não posso exprimir em suas palavras porque elas são demasiadamente restritas), cabe a vocês.
É, portanto, em meio a esse dilema (porque para muitos, isso irá representar um) que deve se estabelecer a finalidade do que vocês São ou do que vocês não são.

Eis os elementos sobre os quais eu desejava atrair a sua reflexão e, sobretudo, a sua Vibração, a fim de observar o que se desenrola em vocês, o que se desenrola na Consciência, o que se desenrola sobre este mundo e no conjunto das interações que vocês realizaram neste mundo.

Quer vocês continuem a realizar, ou não, conforme o seu Abandono do Si, da mesma forma que vários de vocês, aqui e em outros lugares, realizaram através do Abandono à Luz.

O Abandono à Luz não é o Abandono do Si.
Isso representa, se eu puder dizê-lo, um desafio profundamente diferente.
Porque, em um caso, há restituição à sua Eternidade e, ao mesmo tempo, prosseguimento da projeção da Consciência nas diferentes esferas, tanto nas suas origens estelares como nos diferentes corpos multidimensionais.

Enquanto que o outro desafio consiste em não ser mais nada de tudo isso, a fim de ser o Tudo, e veicular, em vocês, o conjunto das experiências realizadas pelo conjunto da humanidade, pelo conjunto das consciências, pelo conjunto dos átomos, pelo conjunto dos sóis, pelo conjunto dos multiversos, pelo conjunto da Criação e do Incriado.
Isso é o que vai ser realizado, de maneira por vezes muito brutal, em meio ao seu campo de experiência, em meio à sua Consciência, como em meio à sua não consciência, nos dias que se abrem a vocês, durante este mês agora.

Se existir, em vocês, questionamentos referentes a este Absoluto, a esta Unidade e a este Amor, então, se eu puder ali responder em palavras, eu o farei.

Estejam certos de que a minha Presença já está ao lado de vocês e em vocês.
Bem amados Filhos da Liberdade, nós temos tempo para dialogar, se tal for o seu desejo, sobre o que eu acabo de exprimir.


Pergunta: é preciso tudo abandonar, mas é preciso abandonar o Amor que está dentro do nosso coração?

É preciso abandonar toda experiência, porque o Amor que está no seu coração, como você o diz, é uma experiência.

É o retorno à Unidade, é a ativação do Si, da Coroa Radiante do Coração, reencontrar o seu estado KI-RIS-TI.

Mas além de toda experiência, mesmo a mais magnífica, há outra coisa.
Mais uma vez, o conjunto da Terra está, na totalidade, Liberado.

Jamais considerem o Absoluto como uma finalidade, porque (se eu pudesse exprimi-lo de outra forma) eu diria que o Absoluto é o que está antes do início de qualquer experiência, de qualquer começo e de qualquer fim.

A Morada da Paz Suprema (como algumas Estrelas o expressaram e o vivenciaram durante a sua passagem sobre a Terra) demonstra e ilustra perfeitamente o que é esta Morada da Paz Suprema ou este Absoluto, em meio a uma forma.

Eu os convido a olhar a vida da maior dentre elas, que foi MA ANANDA MOYI.
Vocês não podem manter alguma experiência e ser a Morada da Paz Suprema.


Pergunta: devemos também refutar a reconexão com as linhagens estelares e intraterrestres?

Bem Amado, a partir do momento em que a experiência da Luz, vivenciada pela realização do Si (nomeada também Acordar ou Despertar) é vivida, há, evidentemente, a necessidade de refutar o que se tornou conhecido de vocês.

O Si sendo conhecido de vocês, através da existência e da manifestação da Consciência, é naquele momento que convém também refutar isso.

Naturalmente, isso representa um dilema terrível para o Si que recusa Abandonar-se.
Mas não há alternativa.

Eu os lembro de que, em última análise, qualquer que seja a experiência realizada, quaisquer que sejam as vidas conduzidas em meio à Unidade e à não separatividade, existe um tempo (além de todo tempo) e um espaço (além de todo espaço e de toda localização) em que vocês irão chegar nesta conclusão final, porque vocês irão se tornar isso, porque vocês irão reconhecer que vocês São isso, de toda Eternidade.

Ou seja, a cessação de toda Consciência, de toda projeção, de todo Amor, não Absoluto.
O Amor que está no Coração de vocês, dando-lhes a dimensão de KI-RIS-TI ou de Filho Ardente do Sol, é apenas um intermediário do que vocês São, na Verdade.


Pergunta: será que basta dizer “eu estou pronto a tudo abandonar” para conectar o Absoluto?

Certamente que não, já que toda noção de “eu sou” deve desaparecer.

Portanto, o “eu sou” não pode ele mesmo dizer que ele se Abandona.
Há apenas através do que eu exprimi, ou seja, a noção de Transparência total.

Mas não no sentido da Ética e da Integridade, tais como nós o havíamos definido desde alguns anos, que, eu os lembro, foram etapas preliminares à instalação do Si.

A Transparência é o que pôde ser expresso, por algumas Estrelas, por alguns Anciãos, durante a sua passagem sobre a Terra, onde não existia estritamente nada que pudesse parar o que quer que seja da sua Morada da Paz Suprema, porque a Morada da Paz Suprema deles, enquanto estando presente em meio a uma forma, deu lugar à Transparência total (Nota: ver, em particular, sobre esse tema na
intervenção de IRMÃO K de 07 de junho de 2012).

A Transparência total é nada parar, nada reter, nada ser.
Todas as etapas de realização do Si (que vocês acompanharam, talvez, para alguns de vocês, desde as Núpcias Celestes) foram, eu diria, ativadas através do que vocês poderiam nomear rituais e protocolos, que lhes foram dados por meio de diferentes Yogas, de diferentes práticas com cristais, de diferentes alinhamentos: isso foi denominado a Realização do Si.

O acolhimento da Luz de CRISTO, em Unidade e em Verdade, foram elementos que lhes permitiram, efetivamente, realizar a mutação da consciência (da consciência fragmentada para a consciência unificada), ou seja, viver o Despertar e a Realização.

Mas, ainda uma vez, o Despertar e a Realização não são a Liberação total.
Vocês podem ser Livres, estando no Si.
Mas vocês não serão Liberados de toda experiência, vocês serão Liberados do confinamento.

Pergunta: podemos ter acesso a esses espaços sem ter vivido a Fusão e a Dissolução?

Os mecanismos que foram comunicados a vocês, da Comunhão (através, por exemplo, da Nova Aliança), os mecanismos do Casamento Místico, do Encontro Místico (no Sol ou aqui mesmo), foram, de alguma forma, prelúdios propiciando-lhes viver que vocês não estavam localizados em meio a este corpo e a esta Consciência, mas que vocês podiam ser uma outra Consciência e um outro corpo de Estado de Ser.

É preciso também viver a experiência, se isso os agradar, de que vocês não são quaisquer dessas formas e quaisquer dessas Consciências.

É impossível viver o Absoluto enquanto a Dissolução não tiver ocorrido, quer esta Dissolução ocorra em meio ao seu indivíduo, ou quer ela ocorra no momento final da Terra, em meio a esta Dimensão.

Renunciar ao Si é provavelmente, para alguns de vocês, muito mais delicado do que renunciar ao Eu.

Porque a passagem do Eu ao Si se traduz por um aperfeiçoamento da Consciência, ao passo que a passagem do Si ao seu próprio final (e, portanto, ao estabelecimento do Absoluto) é o desaparecimento total da Consciência.

Enquanto vocês estiverem na Consciência, vocês não podem conceber, perceber, sentir ou experimentar a não Consciência.

Exceto, por analogia, nos momentos de sono, ou seja, nos momentos em que vocês desaparecem totalmente deste mundo, dos seus sonhos, e da sua própria Consciência.


Pergunta: repetir a palavra “nada” como um mantra e se sentir como perder todas as referências Interiores, são primícias ou um auxílio à Dissolução?

Isso depende do contexto pessoal.
Afirmar nada ser é já uma projeção da Consciência.
É preciso desvencilhar-se da ideia ou da crença de que o Absoluto é um objetivo.

Como isso lhes foi dito, ele sempre esteve aí.
Sem o Absoluto, nenhuma Consciência poderia ser projetada, vocês não poderiam sequer questionar, hoje, comigo.

Em meio mesmo à minha manifestação de Arcanjo (com suas especificidades), eu posso dizer que eu sou Absoluto, ou seja, que existe, em mim, a clara consciência e a clara não consciência de ser, ao mesmo tempo, aquele que se apresenta a vocês, como ser cada um de vocês.
Não enquanto crença, mas como um fato confirmado.


Pergunta: como se realiza a Transparência através deste corpo?

Pela Humildade, pela Simplicidade, pelo caminho da Infância.
Ou seja, nada parar, nada localizar, nada ser.
É o não ser.

Enquanto existir uma Consciência, um observador, enquanto existir o reconhecimento de uma forma, enquanto existir o reconhecimento de uma vida, enquanto existir uma interação e uma relação, qualquer que seja, vocês não estão na Dissolução e vocês não são o Absoluto.
Pelo menos, o Absoluto não é revelado ao que vocês são.


Pergunta: deixar o corpo durante o sono é a melhor maneira de encontrar o Absoluto?

Absolutamente não, porque deixar este corpo os faz penetrar em um outro corpo.

Que isso seja um corpo astral ou um corpo de Estado de Ser, absolutamente nada muda.

O fato de penetrar outro corpo, através do Casamento Místico, no Sol ou em outros lugares, são primícias, mas não é o Absoluto.


Pergunta: se o Absoluto não estiver revelado, haverá ainda uma chance no momento final?

Isso não é uma chance, é um estado além de todo estado.
Isso não é um objetivo.

A partir do momento em que você considera o Absoluto como um objetivo, ele se afasta.
Aquilo é o que você É, além da aparência deste corpo.
É a Transparência total.

Se eu puder empregar uma imagem, é a Transparência do ar: o ar contém todas as ondas, ele deixa passar todas as cores.

Por analogia, em meio ao seu mundo, o ar é o Absoluto.

É o lugar onde há ausência de resistência para a propagação das ondas.
Como vocês sabem disso, a velocidade da luz, no vazio, é conhecida, mesmo esta luz sendo apenas fragmentada, não correspondendo à Luz Vibral.

Entretanto, a analogia que podemos ali encontrar corresponde totalmente.
A propagação da luz não segue um trajeto, nem um trajeto de menor resistência.
A luz, mesmo sobre o seu mundo, mesmo fragmentada, dirige-se em todas as direções do espaço.


Pergunta: soltar (deixar ir) ajuda na Transparência?

Não.
O soltar não é o Abandono.

Eu falei sobre isso em várias ocasiões, durante o ano de 2009
.

Ele não é nem o Abandono à Luz, e ainda menos o Abandono do Si.
Porque, quem decide soltar?


Pergunta: e sobre a Luz em relação ao Absoluto?

A Luz é tudo o que corresponde à projeção do Absoluto.
Ela é a Consciência, ela é o Amor, manifestados e criados.


Pergunta: os mundos em estrutura de carbono são os únicos mundos de experiência ou é também o caso dos mundos em estrutura de silício?

Todo plano Dimensional, desde o seu plano (que foi alterado) até a FONTE, são mundos de experiência.

Pergunta: se tudo deve ser refutado, a Presença dos Arcanjos, em nós, também deve sê-lo?

Neste caso específico (e como isso foi enunciado por MIGUEL, por MARIA, por MA ANANDA, por UM AMIGO, por SRI AUROBINDO), existem inúmeras Presenças cujo nível e estado de Consciência são profundamente diferentes.

O conjunto desses níveis está contido no Absoluto que vocês São.
A conscientização dessas Presenças é uma revelação.

Depois dessa revelação, manifestam-se a Fusão e a Dissolução.

É naquele momento que pode ocorrer a Passagem, ou seja, a Dissolução do Si, a Dissolução do ser, permitindo passar do “Eu sou” para o não ser.

Há, de algum modo, testemunha e testemunho.

A experiência do estado que antecede o Último, nomeada Infinita Presença ou Maha Samadhi, é muito exatamente o que permite, talvez, para muitos de vocês, ser o Absoluto.

Mas isso não é uma obrigação.

CRISTO lhes disse: “será mais difícil para um rico passar pelo buraco da agulha do que um camelo passar ali”.

Toda forma de conhecimento, toda forma de apropriação, toda forma de apego, toda forma de identificação a qualquer corpo que seja, não permite ser o Absoluto.

Pergunta: você pode elucidar o conceito de Absoluto sem a forma e o fato de que se podia ser Liberado Vivente no Absoluto com forma?

Nós falamos, evidentemente, desta forma, ou seja, deste corpo de carbono, já que a Ascensão se realiza neste corpo.

É uma alquimia, uma transubstanciação, uma metamorfose.

Independentemente das palavras que podemos empregar, na sua linguagem, elas refletem, de algum modo, o que, para a sua consciência, seja talvez o mais apreensível.

O Absoluto com forma corresponde a este mundo.
Evidentemente, existe uma variedade de formas possíveis, de consciências possíveis, em meio aos mundos unificados, em meio aos multiversos.

O Absoluto sem forma corresponde simplesmente ao desaparecimento deste corpo de carbono.
Vocês realizam, pela presença sobre este mundo (para aqueles que o vivem), o Absoluto com forma.

A Unidade e o Estado de Ser tornaram possível para vocês, no final das Núpcias Celestes, a possibilidade de viajar nos seus veículos multidimensionais.

O Absoluto sem forma propicia-lhes ser a totalidade do Criado e do Incriado.


Nós não temos mais perguntas, nós lhes agradecemos.

Bem amados Filhos da Liberdade, enquanto Arcanjo do Amor e da Relação, vivamos um instante do seu tempo de Comunhão, de Fusão ou de Dissolução, conforme a sua ressonância entre o que vocês são e o que eu sou.

.. Compartilhamento da Dádiva da Graça ...

Eu sou ANAEL, Arcanjo.
Eu sou vocês.
Vocês são eu.


Eu saúdo, em vocês, a Eternidade.
Eu saúdo, em vocês, a Morada da Paz Suprema.
Eu saúdo, em vocês, a forma, qualquer que seja.

Eu lhes digo até breve.

 
 
Áudio da Mensagem em Português

Link para download: clique aqui


Mensagem do Arcanjo Anael,

pelo site Autres Dimensions

em 01 de julho de 2012

 

Rendo Graças às fontes deste texto:


Tradução: Zulma Peixinho


http://www.mestresascensos.com/


Nenhum comentário:

Postar um comentário