atendimentos

BEM-VINDOS!

Orientações, consultas, partilhas e atendimentos: via skype ou presencial.

Para marcar um horário, escrevam para o email fernanda.manzoli@gmail.com

" Todos os tipos de relacionamentos proporcionam transformação, tomada de consciência e crescimento pessoal e espiritual "

Espero você para este sagrado encontro!!

Somos todos UM!

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

VIAGEM À NAVE MÃE - PARTE 3b

 


VIAGEM À NAVE MÃE - PARTE 3b
Por Suzanne Lie PhD
Em 22 de setembro de 2012
Mytre e os Arcturianos
MYTRE FALA:
 
Queridos da Terra, obrigado por se unirem a mim na Nave Mãe Arcturiana.
 
Mais tarde, na minha história, eu compartilharei com vocês a alegria de nossa Ascensão Pleiadiana, que foi há muito tempo atrás do seu tempo terreno.
 
Mas, visto que agora eu ressoo acima das limitações do tempo, eu posso calibrar minha consciência multidimensional a qualquer zona de tempo ou frequência de realidade.
 
De fato, eu comecei a aprender esta habilidade de calibrar minha consciência a bordo desta mesma Nave Mãe.
Seres Pentadimensional na Nave Mãe
 
Antes de eu começar nosso tour pelas seções hexadimensionais da Nave Mãe, eu gostaria de falar sobre os Seres Pentadimensionais a bordo da dela.
 
Na verdade, quando alguém ressoa à sua expressão pentadimensional, ele também está conectado com seu EU Multidimensional. Portanto, é mais correto dizer que quando os seres escolhem ressoar à sua expressão pentadimensional.
 
A forma de um ser pentadimensional é muito mutável e pode facilmente ser alterada por seus pensamentos e emoções. Portanto, aqueles em forma pentadimensional podem parecer sólidos numa ocasião, mas então de repente aparecer num Corpo de Luz translúcido.
 
O Corpo de Luz é uma forma muito confortável, pois há muito pouca massa.
Corpos de luz não experimentam sensações físicas como fome, sede, calor ou frio.
 
Além disso, a alta frequência de um Corpo de Luz é um receptáculo maravilhoso para o amor incondicional.
E também, tal como seu corpo terreno "come" os elementos físicos encontrados na Terra, o Corpo de Luz "come" somente luz.
 
O Corpo de Luz também pode instantaneamente receber, manter, entender e transmitir grandes quantidades de informação.
 
Assim, quando um Corpo de Luz está ressoando a suas frequências mais altas, ele é uma expressão viva da luz dimensional, e também a expressão mais alta de amor incondicional dessa luz.
 
É este amor incondicional que torna a nossa Consciência de Unidade um combustível tão poderoso para a nossa Nave Mãe.
Há áreas da nave que são apenas para visitantes. Nestas áreas, nós escolhemos usar formas de manifestação densas, humanoides para criar um ajuste mais fácil para nossos amigos em ascensão.
Então, quando nós retornamos para outras partes da nave, nós podemos nos sentir à vontade para assumir qualquer forma que desejemos.
Este processo é bem parecido a chegar em casa do trabalho e vestir uma roupa mais confortável. Porém, nós trocamos para corpos mais confortáveis.
Em nossos "corpos confortáveis" nós podemos mais facilmente combinar com os outros, da mesma forma como quaisquer luzes podem se combinar.
Quando nos combinamos com nossos Corpos de Luz, nós instantaneamente experimentamos tudo da mesma maneira que os outros experimentam.
 
De fato, há certas ocasiões quando a Nave Mãe e a tripulação inteira se combina no UM do AGORA. Nós consideramos essas horas como similares ao que vocês chamam de Paraíso.
Nós somente criamos essa combinação quando se sabe que os visitantes são capazes de aceitar esta intensidade de luz.
 
Como muitos de vocês têm experimentado durante seu processo de ascensão, assumir uma frequência de luz muito acima da sua frequência base pode provocar muitos problemas com seu vaso terreno.
 
Nós também experimentamos esta sensação assim que a frequência de nosso mundo pleiadiano começou se expandir para a quinta dimensão.
 
Assim, nós reunimos todos os curadores e líderes que já tinham experimentado esse processo e criamos uma rede através da qual os em ascensão podiam sempre encontrar amigos.
 
Estabelecer essa Rede não foi uma tarefa pequena, pois a maioria das pessoas já estava sobrecarregada com seu próprio processo de ascensão.
 
Por outro lado, a nossa Rede descobriu que quando as pessoas usavam as frequências mais altas, elas faziam o download com que elas realmente se sentiam melhor.
 
Luz, principalmente Luz em expansão, pode ser mais facilmente integrada em qualquer sistema quando é fornecida uma trajetória de movimento.
 
A luz que está estática fica agitada e pode criar medo e ansiedade naquele que acaba de fazer o download dela.
 
Seções Hexadimensionais da Nave Mãe
 
Agora eu gostaria de levá-los em um tour pelas seções hexadimensionais da Nave Mãe.
 
Como eu disse antes, quando cheguei à Nave Mãe, eu tinha expandido minha consciência para meu EU Multidimensional.
 
Porém, expandir sua consciência para esta frequência e verdadeiramente entrar numa realidade hexadimensional não é a mesma experiência para todos.
 
Portanto, vou levá-los de volta à porta de que falei antes, aquela que parecia se abrir para lugar algum. Desta vez eu lhes contarei o que aconteceu quando eu entrei em uma porta aberta.
 
Eu havia explorado a maioria das seções pentadimensionais da Nave Mãe e estava preparado para ver mais.
 
Com o que praticamente parecia um sorriso malicioso, meu Guia Arcturiano disse:
"Voltemos à porta para lugar algum."
 
Num flash do AGORA, nossas formas pentadimensionais estavam na frente daquela porta.
Telepaticamente ouvi o aviso do Arcturiano para abri-la e assim o fiz.
Desta vez foi totalmente diferente.
 
Assim que a porta abriu, eu passei por ela e entrei em um mundo que eu jamais havia conhecido.
 
Eu estava acostumado à quinta dimensão mutável e às vezes sem forma, mas eu estava despreparado para as sensações de uma realidade hexadimensional.
 
Senti como se fosse despedaçado, como se meu Corpo de Luz fosse desarticulado.
 
Eu podia sentir um medo querendo surgir dentro de mim, então centrei minha consciência no AGORA e permiti que as sensações únicas se instalassem em minha consciência.
Eu digo "consciência", pois assim que passei pela porta eu estava completamente sem forma.
 
Eu não sei como dizer isto de uma maneira sequencial, mas até minha consciência parecia estar dissociada de quaisquer sensações familiares, pensamentos, emoções ou movimentos.
Enquanto em meu Corpo de Luz pentadimensional, eu havia experimentado a liberdade do meu Corpo de Luz por permitir minha consciência fluir além do que parecia ser uma forma solta de luz que eu chamara de meu corpo.
 
Porém, na sexta dimensão minha consciência estava dispersa na totalidade deste mundo.
Eu senti como se minha consciência havia explodido.
 
De novo, eu tive que profundamente me conectar com o AGORA e não permitir que meu campo de energia procurasse por minha antiga segurança de estrutura.
Mantive-me focado no AGORA, AGORA, AGORA para me ligar a algum centro dentro deste campo de energia extremamente alta.
Finalmente fiquei ciente do que pareciam ser padrões dentro daquilo que já fora percebido como nada. Esses padrões não eram estáticos, pois eles fluíam e refluíam como uma boia num oceano encrespado.
Com esta imagem em minha consciência, eu pude ver como havia um formato, tal como o oceano e o ar, mas eles estavam totalmente entrelaçados. Mas aquilo que era semelhante ao ar era o que criava o padrão daquilo que era semelhante à água.
 
Tudo estava em constante fluxo. No final, conforme me acostumei a essas sensações, tive uma profunda sensação de inícios. O que eram esses inícios estava muito além da minha capacidade de perceber. Porém, eles pareciam importantes e eram sentidos como confortadores.
 
Nesse momento, o arcturiano entrou pela porta e tocou-me no que poderia ser o meu Terceiro Olho. Imediatamente a sala assumiu uma estrutura. A estrutura era bem parecida com a da Sala de Projeção de que lhes falei na quinta dimensão.
Porém AGORA eu estava vendo e simultaneamente sendo a sexta dimensão.
 
"Esta dimensão é uma realidade potencial, que está infinitamente no processo de ser criada", eu ouvi o arcturiano me dizer. Ele falava telepaticamente para me forçar a abandonar meu hábito às palavras, como foi dito.
 
"Eu estava na tela quando entrei?", eu precisei perguntar.
 
Em resposta, eu estava instantaneamente dentro da mesma experiência de... ?
Creio que terei de chamar de Potencial Criativo.
 
Eu sabia que naquela hora eu teria de arranjar para mim algum nível de forma.
 
Eu aprendera que quando o arcturiano parecia me abandonar, era porque ele sabia que eu estava preparado para encontrar a resposta dentro de mim.
 
Eu também aprendera que se eu duvidasse de mim, eu nunca encontraria a resposta.
Portanto, eu relaxei na experiência e procurei o conhecimento em meu interior.
 
O problema foi: onde era o interior?
Eu estava em um mundo novo agora, e todas as regras desta realidade eram desconhecidas para mim. Exceto que era sabido que eu era um Ser Multidimensional.
 
Consequentemente, eu precisava me conectar com a expressão hexadimensional do meu Eu.
Lembrei-me de que entrega era a chave para todos os mundos de dimensão superior.
Então, me entreguei à experiência de boiar e fluir numa realidade que eu não podia ver ou ouvir.
 
Por outro lado, de alguma forma eu podia senti-la.
E também eu fui capaz de ainda me conectar com algum sentido do meu EU.
A partir de dentro do Eu com quem eu estava livremente conectado, eu me entreguei completamente àquilo que eu não podia entender.
Ao liberar a necessidade de entender, um sussurro de saber começou a tremular dentro do que eu ainda possuía de consciência.
O sussurro não era em nenhuma linguagem, mas eu o sentia como uma sensação de disposição para começar.
 
Eu não sei a o que eu estava disposto a começar, mas eu escolhi me entregar a essa disposição, pois ela era o único marco que eu pude encontrar.
Eu permiti essa disposição ficar mais e mais forte até ela predominar sobre o desconhecido de minha experiência.
 
Gradualmente essa disposição tornou-se uma vaga lembrança do que era tão obscurecido que eu mal captava.
 
Então, eu entrei na lembrança e a aceitei até que ela assumiu a minha consciência dispersa.
 
De alguma forma, esta lembrança distante conseguiu me empurrar para uma forma muito solta. De repente, eu estava FORA do potencial e na frente do Visor em pé/flutuando perto da forma mutável do arcturiano.
 
Pode uma forma solta da Luz do Arcturiano sorrir?
Ou talvez esse sorriso fosse meu?
 
Por favor, durmam com minha introdução para a sexta dimensão.
Voltarei para continuar nossa jornada pela seção hexadimensional da Nave Mãe.
Mytre e o Arcturiano,
pois agora nós somos UM!
 
Tradução: Blog SINTESE http://blogsintese.blogspot.com/
Respeite os créditos

Nenhum comentário:

Postar um comentário